«Conversas aGosto»: «Temos de ir ao encontro daquilo que as pessoas são» – D. José Bettencourt

«Conversas aGosto»: «Temos de ir ao encontro daquilo que as pessoas são» – D. José Bettencourt

26 de Agosto, 2020 0 Por Azores Today

«Conversas aGosto»: «Temos de ir ao encontro daquilo que as pessoas são» – D. José Bettencourt

Ago 26, 2020 | Em destaque

Diplomata do Vaticano fala da necessidade de ser sensível ao que cada um vive

O arcebispo luso-canadiano D. José Bettencourt, atualmente representante diplomático do Papa na Geórgia e Arménia, disse à Agência ECCLESIA que procura “ir ao encontro daquilo que as pessoas são”, no seu trabalho.

O núncio apostólico sublinha a importância de ser sensível ao presente, ao que está diante de cada um.

“É aí que Deus se move”, afirma.

D. José Bettencourt brinca com a facilidade de fazer amigos, “um de cada vez”, apresentando-se como uma pessoa otimista na forma de ver o mundo e as pessoas.

Diante de si, assinala, tem encontrado “essencialmente boa gente, que procura alguma coisa”.

Antigo chefe do protocolo da Santa Sé, o diplomata considera que “estar num posto quer dizer fazer dele alguma coisa útil, senão não serve de nada”.

Para o arcebispo nascido nos Açores, o fundamental é ir ao encontro das necessidades das pessoas, levando-as “ao encontro da fé, de Cristo”.

“As pessoas olham para nós, o colarinho, o título de padre, o que seja, mas o que vale mais é o testemunho”, reforça.

“Em posições vistas por algumas pessoas como de importância há ainda mais responsabilidade para que se dê um testemunho de vida, concreto”, afirma.

O núncio apostólico assinala que, no seu serviço, procura evitar uma visão fria, institucional, do Vaticano, promovendo o contacto pessoal.

O objetivo, explica, é “ser uma ponte, um ponto de encontro”.

Um serviço que o levou à Geórgia e Arménia, em 2018, como núncio apostólico.

“Tem sido uma enorme surpresa”, admite, confessando “um fascínio” particular pelos dois países.

(Com Ecclesia)

Fonte: Igreja Açores