ùltimas Notícias

Projeto de expansão do Porto das Pipas não é um ganho. É um crime com dolo, contra a Terceira, contra o futuro!

Mais uma vez indignado me confesso.

Será que sou dos poucos que por estas bandas se indigna com os crimes que sucessivamente esta governação socialista vem perpetrando contra os melhores interesses das populações, neste caso contra toda a ilha Terceira? Será que somos realmente uma cambada de analfabetos que não conseguimos ver as consequências do projeto de expansão do Porto das Pipas, como anunciado?

Esta é uma obra que significa um CHECK-MATE no desenvolvimento do turismo na ilha Terceira, a favor de São Miguel e tal não é inocente.

Não sou dado a bairrismos, aliás não gosto de me queixar do que tenho, tive, ou poderia vir a ter. Mas haja decoro.

Há hora que escrevo estas linhas estarão uns tipos engravatadinhos sem VERGONHA, com toda a pompa e circunstância colocando a primeira pedra no Porto das Pipas. A pedra da VERGONHA.

Ora vejamos. A edificação de um cais de cruzeiro no lugar do Porto das Pipas é uma obra estrutural para a ilha Terceira, desde o primeiro dia defendida pelo CHEGA-Açores.

Sem olhar a interesses, julgando somente das condições existentes e sentido de oportunidade, a Baía de Angra oferece condições de abrigo, edificado pré-existente e localização dentro de uma cidade Património Mundial que tornam o destino Terceira apetecível a qualquer operador de cruzeiro.

Mais nenhum porto nos Açores dispõe destas características.

Não sou pioneiro na defesa deste projeto. Esta é a recomendação técnica defendida publicamente no DI pelo Sr. Capelo, Piloto de profissão, pessoa avalizada e o maior conhecedor vivo destes mares.

Este projeto, de direito para a ilha Terceira, não é estranho a Vasco Cordeiro que já reuniu com as forças vivas da ilha e inclusivamente com ele se comprometeu. Mas era mais uma mentira…

O outro lado da moeda é que o crescimento de interesse estratégico num cais de cruzeiro na Terceira, iria potencialmente reduzir o interesse estratégico do seu homólogo em São Miguel. Estes rapazes, donos disto tudo, não estão pelos ajustes.

As condições geográficas, o património histórico, o edificado e a oportunidade estratégica para eles não conta. Conta sim o interesse eleitoralista imediato. São gente muito pequena…

A argumentação encontrada para minguar as justas aspirações desta ilha é a de, por um lado, que Angra será destinada à utilização por parte de pequenos navios de cruzeiro temático (conversa para boi dormir), por outro alimentar a ideia de recuperação do porto norte-americano na Praia da Vitória, porto este que por razões de calado limita a sua operacionalidade e por via da sua localização, a sua atratividade.

Ao efetuar a extensão do Porto das Pipas eles sabem-no bem, estarão ampliando um cais acostável exposto ao «Mar Carpinteiro», mar que ao longo da história povoou os fundos desta baía. Estarão por outro lado com este edificado, condicionando irremediavelmente a aspiração deste povo a oferecer nesta plataforma oceânica, um porto de destino utilizável por cruzeiros e iates de grande envergadura. VERGONHA!

VERGONHA ainda para um povo acomodado que em tempos se revoltou e defendeu a sua terra com honra e dignidade, que hoje mais não é do que boi em terra alheia.

Se também acha que CHEGA, seja participativo. Junta-te à nossa voz!

 

Por Orlando Lima In Diário Insular

Ver também

Quarta na piscina

Fonte: RTP Açores (clique neste link para ver o video)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *