Seminário de Angra volta a contar com o Padre Teodoro Medeiros no ensino de Sagrada Escritura

Seminário de Angra volta a contar com o Padre Teodoro Medeiros no ensino de Sagrada Escritura

25 de Junho, 2020 0 Por Azores Today

Seminário de Angra volta a contar com o Padre Teodoro Medeiros no ensino de Sagrada Escritura

Jun 25, 2020 | Manchete

Sacerdote completou estudos em Roma, faltando-lhe apenas a defesa da tese para completar o doutoramento em Sagrada Escritura na Universidade Urbaniana de Roma

O padre Teodoro Medeiros, há cinco anos a estudar em Roma, regressa no próximo ano pastoral à Diocese, a onde vai voltar a ensinar Sagrada Escritura no Seminário Episcopal de Angra.

Questionado pelo Igreja Açores, o sacerdote, natural dos Arrifes, em São Miguel, e ordenado há 20 anos, sublinha que “o regresso à vida normal é muito bem-vindo!”.

“Escrevo no dia em que celebro 20 anos de ordenação presbiteral, e hoje traço a minha retrospetiva de vida: os primeiros anos nas paróquias e lecionação de Religião e Moral na escola pública, o estágio de um ano; os anos em Roma para a licenciatura em Sagrada Escritura; as aulas no Seminário de Angra e o trabalho em outras paróquias, a capelania do estabelecimento Prisional de Angra (edifício antigo), as formações bíblicas… Quero voltar à vida ativa, ao contato com as pessoas da paróquia, os alunos, os amigos saudosos… e sobretudo ao trabalho por uma vivência cristã baseada nos dons e na misericórdia de Deus que estão sempre por descobrir na nossa vida” refere.

Da formação para completar o doutoramento falta-lhe a defesa da Tese, mas as partes curricular e de investigação estão concluídas.

“O estudo é algo fascinante e muito desafiante, mas a minha vocação não fica só por aí. Na vida, as mudanças são muitas vezes causa de receio porque abalam as nossas seguranças, causam desconforto… mas também nos ajudam a voltar ao início, a renovar as forças, a refrescar o compromisso, a rezar de forma mais existencial”, adianta ao Igreja Açores.

“Devo dizer que estou muito contente por acabar este ciclo e voltar ao que sempre fiz e ao lugar onde nasci” refere destacando que apesar de ter estado em Roma, não esteve “separado da Diocese” e até passou “mais tempo com a família”.

Sobre as expectativas que reserva para esta reintegração no presbitério diocesano afirma: “acho que a Diocese é essencialmente a mesma: mudou a pessoa do bispo, ordenaram-se alguns padres novos, há algumas dinâmicas novas nas quais me terei de integrar e colaborar. Aparte isso, a nossa Diocese tem as suas particularidades, os movimentos, as dificuldades, os pontos fortes e a mesma história que tinha há cinco anos: as pessoas são as mesmas, mais ou menos.”

O sacerdote, que é um cinéfilo, aliás colabora regularmente com o Igreja Açores na rubrica 35 mm, lembra que o estudo é sempre um tempo “ muito rico de aprendizagem e disciplina” e que a teologia “não é uma ciência menor e a exegese consegue ser muito exigente a este nível”.

“Como sabemos, os estudos em Roma não têm como fim a valorização pessoal mas o nosso trabalho enquanto professores e a instituição em que trabalhamos. A responsabilidade é de fazer render os dons que Deus nos deu e absorver tudo o que possa ser uma mais valia. A nossa Diocese tem feito um louvável esforço de creditação junto da Universidade Católica Portuguesa: como diz o povo, não se fazem omeletes sem ovos… o nosso sacrifício atual é feito em vista da formação mais conveniente dos alunos do nosso Seminário”, conclui.

O padre Teodoro Medeiros foi ordenado a 25 de junho de 2000, por D. António de Sousa Braga e durante o seu percurso formou-se em Teologia e em Sagrada Escritura. De 1999 a 2002, professor de Educação Moral e Religiosa Católica na EB 2/3 de Arrifes, Ponta Delgada e entre 2006 e 2015 foi professor de Introdução ao Grego Clássico (2 semestres); Grego Bíblico; Língua e Cultura Hebraicas; Evangelhos Sinóticos; Escritos Sapienciais; Escritos Paulinos, no Seminário Episcopal de Angra.

O padre Teodoro Medeiros, juntamente com os padres Jorge Ferreira e Pedro Silveira Lima, regressam à diocese em setembro para iniciar o novo ano pastoral.

Fonte: Igreja Açores