CARRAPATOS E ANÁRQUICOS SOCIAIS

CARRAPATOS E ANÁRQUICOS SOCIAIS

21 de Junho, 2020 0 Por Azores Today

Baden-Powell é uma das maiores figuras mundiais pelo meritório trabalho feito ao longo da vida com a fundação e desenvolvimento do escutismo.

Eu nunca fui escuteiro, mas tenho uma admiração tão grande pelo escutismo que incentivei os meus filhos a o serem. Revejo nos princípios do escutismo, os princípios que defendo, como a partilha, a defesa e aprendizagem do meio ambiente, o saber fazer, o mérito, etc.

Quando vejo a imagem de Baden-Powell decapitada fico a pensar comigo o que afinal foi decapitado? Será que foi apenas uma estátua ou a imposição de um grupo organizado, que pretende decapitar toda uma história, toda uma forma de ver e pensar o mundo, impondo uma nova ordem anárquica? Pois parece-me ser isto, a instauração da anarquia.

Infelizmente, este não foi um acto isolado, mas mais um de uma serie de actos bárbaros de pessoas que querem destruir as maiores figuras da nossa história. Vultos que representam uma serie de valores que constantemente têm sido atacados pelos mesmos: a esquerdalha extremista. Daqui excluo as pessoas de bem que pertencem a este outro lado da barricada, mas também digo que cada um escolhe o lado que quer estar na vida.

Quem incentiva e patrocina as maiores movimentações neste sentido nos últimos tempos? A esquerdalha extremista vândala e repleta de bandidos que, a cobro de supostas causas, como o combate ao racismo, alimentam o ódio, a violência e a destruição do património, mas mais grave o incentivo à destruição de toda a nossa história, concordemos ou não com alguns factos. Uns verdadeiros carrapatos sociais, seres desprezíveis e maus, que vivem à custa de quem trabalha, sem nada produzirem.

Que fique muito claro que no nosso país, nos nossos Açores, há pessoas a viver à custa de causas que supostamente seriam nobres, males a combater, mas que para eles têm de continuar a existir ou perdem o emprego milionário e todas as mordomias. Quem não percebe isto deve estar cego ou faz parte da seita, da quadrilha de gatunos.

Chamem o que quiserem a estes hipócritas, mas na minha terra são chamados de vândalos e bandidos, e defendo que haja mão muito pesada da justiça sobre eles, porque não posso viver num país que aceita este tipo de comportamento com uma autêntica impunidade. Não posso aceitar que envenenem as mentes de jovens, vítimas de 46 anos de péssima política cultural e educativa, que se transformaram em papagaios e não seres pensantes, não todos, mas muitos deles.

Acrescento que, quem os patrocina, quem os apoia, quem os coloca lá, devia imediatamente serem responsabilizados e corridos a pontapés dos lugares que ocupam.

Compreendo que muitos não gostem da minha escrita, até eu por vezes gosto pouco dela, mas a verdade é que temos de dar um grito de revolta, de alerta, ou jamais este estado de coisas será travado. Nisto todos devemos concordar e não pedirei desculpas por ter razão.

Haja saúde amigos e que saibamos viver neste mundo estranho, mas que um dia vai mudar.

 

José Pacheco