ùltimas Notícias

CHEGA Açores indignado com a falsa promoção do turismo inter-ilhas

O CHEGA Açores mostra-se indignado com o facto de o governo dos Açores ter anunciado recentemente uma iniciativa discriminatória para o povo açoriano, encapotada como sendo uma campanha de promoção de turismo nos Açores.

Na realidade a campanha agora anunciada, tem um limite máximo alocado inferior a 2 milhões de euros, o que na prática chegará apenas para cerca de 5% dos açorianos.

Além disso, esta resolução do Governo funcionará sobre um mecanismo que roça na ilegalidade e imoralidade, uma vez que os candidatos a este apoio monetário, terão de fazer prova do local de alojamento, valores gastos em refeições e várias obrigações de aquisição de serviços, sendo por isso uma medida que fere a privacidade das pessoas e das suas opções e recursos disponíveis.

O CHEGA Açores observa também que a dita resolução, não apresenta qualquer data limite para o pagamento dos subsídios apresentados, apontando apenas como mero exercício publicitário, que os valores a apoiar serão pagos até dez dias a partir da validação dos comprovativos de pagamento, não esclarecendo concretamente quanto tempo poderá ser necessário para a validação dos mesmos.

O CHEGA Açores lamenta que o Governo Regional tenha levado quase 60 dias a copiar a nossa proposta e que este tempo todo, não tenha sido o suficiente, para que a mesma fosse copiada da melhor forma, uma vez que a Proposta apresentada pelo CHEGA, referia-se a apoio simples, direto, sem burocracias, nem evasão de informação pessoal, atuando nos transportes aéreos com passagens a preços entre os 20 e os 50 euros.

Em conclusão, o CHEGA Açores qualifica esta resolução do Governo Regional como discriminatória, uma vez que apenas poderá proporcionar apoio às pessoas que menos terão sentido os constrangimentos económicos da pandemia, imoral, porque será realizada com recurso ao acesso a dados e opções que deverão ser pessoais, limitativa, porque não permite acesso a todos os açorianos e desonesta, porque não indica em rigor a data limite para o pagamento dos apoios, além de que é mais uma forma encapotada de financiar a Sata, tentando desta forma contornar as leis comunitárias da livre concorrência.

 

Fonte: Chega Açores

Ver também

Tradição a manter

Fonte: RTP Açores (clique neste link para ver o video)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *