Responsável católico pede atenção para os problemas sociais causados pela pandemia aos mais jovens

Responsável católico pede atenção para os problemas sociais causados pela pandemia aos mais jovens

7 de Junho, 2020 0 Por Azores Today

Responsável católico pede atenção para os problemas sociais causados pela pandemia aos mais jovens

Jun 7, 2020 | Manchete

Diretor do Serviço Nacional da Pastoral do Ensino Superior antevê anos de dificuldades para os recém-licenciados

O padre Eduardo Duque afirma que a sociedade, pós-pandemia, vai precisar refletir sobre a realidade social e económica dos jovens, afetados pela falta de emprego e com os planos de vida adiados.

“Ouvimos durante estes três meses que esta crise prejudicava os idosos e era preciso ter atenção com eles; sabemos hoje que terá grandes consequências para a geração mais nova. Será necessário pensar um novo contrato social entre gerações e interesses diferentes. Sabemos que os idosos, a sua grande preocupação é não apanhar o vírus; os jovens não apresentam problemas de saúde mas precisam de emprego”, refere o diretor do Serviço Nacional da Pastoral do Ensino Superior (SNPES) à Agência Ecclesia.

O responsável antevê “um, dois, três anos” de dificuldades, em que os jovens “que saem da Universidade vão ter desafios para encontrar emprego”.

“É preciso alimentar esperança desde cedo nos jovens: estamos com eles, que haja uma ajuda e solidariedade, porque se se entra tarde no mundo do trabalho, não é fácil constituir família e o jovem vai prorrogando as suas esperanças. Como sociedade e comunidade devemos refletir sobre o desemprego jovem. Como se faz a transição entre a universidade e a entrada no mundo do trabalho”, indica.

O padre Eduardo Duque fala na importância da solidariedade e no prescindir de ter vários empregos para “que outros tenham também algum ganho”.

Nos Açores , os estudantes açorianos que estejam deslocados da sua ilha de residência, em virtude da Covid-19, podem candidatar-se a um apoio complementar e pontual. Até ao momento das 286 candidaturas, 240 já mereceram resposta positiva. As restantes estão em fase de análise, recolha de documentação e processamento.

Esta linha de apoio extraordinário foi criada pelo Governo dos Açores para apoiar os estudantes deslocados que tenham de permanecer mais tempo onde se encontram devido à pandemia de COVID-19, não podendo deslocar-se para a sua ilha de residência devido aos condicionalismos impostos à mobilidade.

Os apoios variam entre 100 e 250 euros mensais para despesas de alojamento e alimentação, entre os meses de abril e junho, sendo definidos tendo por base o rendimento do agregado familiar.

Para apoiar estes jovens, o Governo dos Açores, através do Gabinete do Secretário Regional Adjunto da Presidência para os Assuntos Parlamentares e da Direção Regional da Juventude, criou a Linha Verde de Apoio ao Estudante Deslocado, que tem como função recolher as solicitações de apoio, bem como o ponto de situação, localização e vontade de regressar, logo que possível, desses estudantes.

Até ao momento, esta linha foi contactada por 477 jovens estudantes deslocados para informação sobre regresso ou solicitação de apoio financeiro.

(Com Ecclesia)

Fonte: Igreja Açores