A SATA FICOU-TE COM €200, A TROCO DE NADA.

A SATA FICOU-TE COM €200, A TROCO DE NADA.

7 de Junho, 2020 0 Por Azores Today

Foram € 212.00 que qualquer açoriano pagou para não viajar, pagaram adultos, crianças, idosos, gente com saúde e sem ela, gente que supostamente nada entende de números macro, nem de gestão empresarial de aviação civil, mas que sente todos os dias o que é viver geograficamente isolada e pagar as mordomias de uma companhia de aviação açoriana, que todos os anos soma milhões de euros de prejuízo.

2019 não foi muito diferente dos outros anos, 53 milhões de euros de prejuízo no total do grupo SATA, onde e ao que parece o transporte entre ilhas até rendeu 2.6 milhões de lucro.

Lembre-se que o grupo SATA recebe anualmente um subsídio para o transporte inter-ilhas que tem rondado recentemente 30 milhões de euros, mas que em 2019 foram 42.8 milhões, acréscimo este que terá sido a razão para a Air Açores este ano não somar prejuízos como habitualmente.

Quanto à Azores Airlines (a SATA que voa para além da região) é um perfeito descalabro, os prejuízos representam mais de 50 milhões de euros, ou seja concorrendo no livre mercado onde concorrem as companhias aéreas privadas, a SATA precisaria de faturar os seus serviços 30% mais caros do que acontece efetivamente, para poder cobrir os custos da atividade.

Dá que pensar, uma vez que recebendo 40 milhões de euros de passagens dos açorianos entre as ilhas, aproximadamente mais 10% que no ano anterior, somados aos 42 milhões de subsídios de exploração, que representam mais 30% que no ano anterior a SATA Air Açores ainda quase dá prejuízo. Dá também que pensar, que mesmo vendendo bilhetes de passagem para Lisboa por vezes a valores de mais de 300 euros e concorrendo em rotas que outras companhias ganham dinheiro, a SATA soma prejuízos que matematicamente inviabilizam a continuidade das rotas, mesmo tendo presente o facto que a taxa de ocupação média dos voos ronda os 80%.

Estamos perante uma empresa que anualmente soma prejuízos atrás de prejuízos e que todos os anos suga a cada açoriano, o valor necessário para fazer face às mordomias que por lá existem e mais os valores dos bilhetes de passagem vendidos aos preços que eles bem entendem e que infelizmente têm sido tantas vezes o motivo para não nos deslocarmos entre as nossas ilhas e para fora delas.

Da minha parte e como de costume fiz as minhas contas, cada açoriano adulto ou criança paga por ano aproximadamente €200.00 para manter a SATA a voar, fazendo ou não uso dos aviões, em 2019 na minha casa de 4 pessoas, a SATA custou-me € 848.00, mesmo sem utilizar uma única vez o avião, na minha rua muitos dos meus vizinhos também não viajaram, mas também pagaram, mas em outras ruas, em outros concelhos e em outras ilhas, tanta gente não viajou, mas pagou mordomias e regalias que outros gozam.

Aja juízo nestas cabeças, se temos uma companhia aérea regional, que seja em benefício dos açorianos, que se fomente o transporte inter-ilhas a preços verdadeiramente competitivos como já reclamamos anteriormente e que agora a ATA e até o PSD, já seguem a nossa proposta.

A SATA como empresa pública que é, tem sido um sorvedouro do dinheiro dos açorianos, esta empresa tem a obrigação moral de dar em troca aos Açores, um serviço a preços acessíveis, porque é para isso que a mesma é subsidiada pela União Europeia, deixemo-nos de tabus e de resignações, há muito que se possa fazer nesta empresa, é preciso é ter vontade e acabar com a pouca vergonha que por lá existe, a SATA não pode continuar a ser a “prateleira dourada” para inicio ou término de carreiras politicas de figuras da nossa sociedade.

 

Carlos Augusto Furtado

Dirigente do Chega Açores

In Jornal Tribuna das Ilhas, do Faial