Peregrinação de maio vai decorrer de forma inédita, sem multidão e com proposta de «manto de luz» em todo o país

Peregrinação de maio vai decorrer de forma inédita, sem multidão e com proposta de «manto de luz» em todo o país

12 de Maio, 2020 0 Por Azores Today

Peregrinação de maio vai decorrer de forma inédita, sem multidão e com proposta de «manto de luz» em todo o país

Mai 12, 2020 | Em destaque

Santuário convida católicos a acender velas, na sua casa, esta noite

O Santuário de Fátima acolhe uma celebração inédita do 13 de maio, sem peregrinos, devido à pandemia de Covid-19, convidando os católicos a acender hoje uma vela em cada casa, pelas 21h30.

A iniciativa quer criar um “manto de luz” em todo o país, acompanhando o início dos momentos celebrativos que evocam as primeiras aparições de 1917, com o Lucernário, na Capelinha das Aparições; segue-se a oração do Rosário e Procissão de Velas, num trajeto mais curto até ao Altar do Recinto, onde vai ter lugar a celebração da Palavra, regressando depois a Imagem de Nossa Senhora à Capelinha das Aparições.

“Unidos pela fé, participemos nesta grande Procissão das Velas, criando, a partir de nossa casa, um Manto de Luz, sob a proteção da Senhora do Rosário de Fátima”, refere a mensagem de divulgação publicada nas redes sociais, acompanhada pelas hashtags #mantodeLuz #mantleofLight.

No dia 13, a oração do Rosário começa às 09h00, na Capelinha das Aparições; às 10h00 será celebrada a Missa da Solenidade de Nossa Senhora de Fátima, presidida pelo cardeal D. António Marto, bispo de Leiria-Fátima, seguida da Procissão do Adeus.

O padre Carlos Cabecinhas, reitor do Santuário de Fátima, disse à Agência ECCLESIA que esta é uma celebração “absolutamente atípica”, mas sustenta que o espaço “não estará deserto”, adiantando que os momentos “icónicos” como as procissões das Velas e do Adeus terão um novo enquadramento, sem a presença de uma multidão.

O Recinto de Oração vai estar encerrado entre a tarde de hoje e o final da manhã desta quarta-feira, devido às regras sanitárias definidas pelo Governo no contexto da declaração do estado de Calamidade pública, em articulação com a Conferência Episcopal Portuguesa.

As celebrações vão ser transmitidas por canais televisivos e por plataformas digitais, incluindo a Agência ECCLESIA.

O Santuário de Fátima propôs, desde a última semana, a iniciativa ‘Peregrino pelo Coração’, com reflexões e orações que preparam a celebração do 13 de maio.

A decisão de celebrar a peregrinação com o recinto fechado foi comunicada numa mensagem de vídeo do cardeal D. António Marto, 6 de abril, e confirmada no dia 3 de maio, em comunicado.

“Por mais que o nosso coração desejasse estar em Fátima, a celebrar comunitariamente no mesmo lugar, como acontece desde 1917, a prudência aconselha-nos a que desta vez não seja assim. Mantemos esta opção dolorosa na expectativa de, quanto antes, podermos ter neste Santuário as multidões que, na alegria da fé, se reúnem para celebrar e rezar”, referiu o bispo de Leiria-Fátima.

O também vice-presidente da Conferência Episcopal Portuguesa alude a um “aglomerado imprevisível de pessoas na Cova da Iria”, a 12 e 13 de maio, “numa altura em que o risco epidémico é elevado, contraria as orientações das autoridades de saúde, que optaram por fazer um desconfinamento gradual e faseado”.

A Peregrinação Internacional Aniversária de maio é a primeira grande peregrinação deste ano pastoral, em que o Santuário de Fátima convida os peregrinos a “Dar graças por viver em Deus”; assinala a primeira aparição aos três Pastorinhos, em maio de 1917.

(Com Ecclesia)

Fonte: Igreja Açores