CHEGA AÇORES INDIGNA-SE COM GOVERNO SOCIALISTA PELO ABANDONO DOS BOMBEIROS NO CORVO

O Chega Açores lamenta e expressa publicamente o seu descontentamento pela forma como têm sido tratados os nossos Bombeiros pelo Governo do partido Socialista nos Açores.

Ainda esta semana, foi denunciada a grande carga de impostos que as organizações de Bombeiros estão sujeitas mesmo numa altura em que as receitas baixaram drasticamente. Isto faz com que tenham de optar entre o pagamento de ordenados e a fornecedores e os pagamentos ao Estado, uma vez que não foram abrangidos pelas medidas económicas de emergência do Governo Regional. E como tem sido regra, o Governo Regional, correndo atrás do prejuízo, veio resolver esta situação, claro está, após a voz gritante dos Bombeiros.

Desta vez, temos conhecimento de quatro Bombeiros retidos no Corvo contra a sua vontade. A história resume-se em poucos factos, relatados pelos mesmo.

Os Bombeiros das Velas e Graciosa foram prestar 15 dias de serviço no aeroporto do Corvo. Esta comissão deveria durar de 8 a 22 de Março. No entanto, foi lhes negado a saída da ilha do Corvo após esta data. Esta retenção na ilha deve-se, segundo à Autoridade de Saúde, ao facto de não encontrarem quem os substitua e por haver risco de contágio. Quanto ao primeiro argumento, este teria de ser averiguado, quanto ao segundo, não se compreende uma vez que tem havido várias autorizações para viajarem outras pessoas, inclusive, segundo relatos, de um casal que regressou de férias de Espanha.
Estes Soldados da Paz estavam preparados para 15 dias de trabalho e a sua retenção, em nada dignifica o importante trabalho que prestam às populações, como todos nós concordamos.

O Chega Açores não compreende que, após 46 dias e várias diligencias, estes Bombeiros estejam completamente abandonados, sem uma informação concreta e precisa sobre a sua situação e o seu futuro. Concordamos que devem ser tomadas todas medidas preventivas para a sua substituição, mas também percebemos que ao que parece nenhum passo foi dado até agora neste sentido. Se eventualmente alguns Bombeiros não se sentirem motivados a fazer esta substituição, é obrigação do Governo Regional criar medidas extraordinárias de apoio, para que se criem as condições para tal acontecer. Isto também nos leva a refletir que no futuro precisamos de rever toda a logística e apoios aos Bombeiros em serviço.

Nesta e noutras situações, o Chega Açores exige que haja um maior respeito e cuidado no tratamento com os Bombeiros nos Açores. São eles, na maioria dos casos, o garante da salvaguarda das vidas humanas e têm de ser eles devidamente reconhecidos pelo Estado.

No nosso entender, o Governo regional não pode continuar numa permanente atitude de “apagar fogos”. Ou sabem governar, ou deixam que outros governem, correr atrás de prejuízos é prova de falta de competência, não obstante a longa permanência no poder deste governo.

 

Fonte: Chega Açores

Ver também

Escola do Faial ainda não pratica o ensino à distância (Som)

Fonte: RTP Açores (clique neste link para ver o video)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *