Bispos renovam consagração de Portugal ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria

Bispos renovam consagração de Portugal ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria

Mar 21, 2020 | Manchete

Celebração será feita a partir de Fátima e presidida pelo Cardeal D. Antonio Marto. Pode ser acompanhada em direto nas várias plataformas digitais, Canção Nova e MeoKanal 707070

A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) anunciou a renovação da consagração de Portugal ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria, numa celebração que decorrerá depois do Terço internacional de Fátima, às 18h30 (17h30 nos Açores), feito a partir da Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, no dia 25 de março, dia da Solenidade da Anunciação do Senhor.

“Todas as Dioceses estarão unidas na oração do Rosário pelas intenções de todo o mundo e em particular de Portugal, nesta situação dramática que estamos a passar devido ao coronavírus Covid-19”, refere um comunicado do Conselho Permanente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP)

A oração do Rosário vai ser transmitida por várias plataformas digitais de rádio e televisão, com início às 18h30, na Basílica de Nossa Senhora do Rosário do Santuário de Fátima; será presidida pelo cardeal António Marto, bispo de Leiria-Fátima e vice-presidente da CEP.

“A seguir à oração, o cardeal António Marto fará a renovação da consagração de Portugal ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria”, acrescenta a nota.

A 20 de outubro de 2019, os bispos católicos consagraram a Igreja Católica ao Sagrado Coração de Jesus, em Fátima, durante a Missa de encerramento do Ano Missionário, no Santuário de Fátima, assinalando também os 175 anos de presença em Portugal do Apostolado da Oração.

“Coração de Jesus, Filho amado do Pai, a Igreja em Portugal Te Louva: damos-Te graças pela tua presença na história que continua a desafiar-nos ao compromisso com o Reino”, disse D. Manuel Clemente, presidente da CEP, juntamente com os 37 bispos portugueses presentes na Cova da Iria.

Noutra nota enviada aos órgãos de Informação, a CEP informou que as celebrações do Tríduo Pascal devem acontecer sem participação física de fiéis, “no cumprimento das deliberações das autoridades civis e de saúde e segundo a real possibilidade”. Em comunicado, no qual reafirma a “suspensão da celebração comunitária” da missa “até ser superada a atual situação de emergência” provocada pela pandemia de covid-19, a CEP, com base num Decreto da Congregação do Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, apela para que os fiéis sejam avisados “da hora de início [das cerimónias do Tríduo Pascal]”, de modo “a que se possam unir em oração nas respetivas habitações”. Por outro lado, “as transmissões das celebrações litúrgicas” devem acontecer “em direto, não gravadas”. Segundo a nota hoje divulgada pela CEP, os bispos diocesanos podem adiar para uma data posterior a Missa Crismal, celebração realizada na Quinta-feira Santa na catedral de cada diocese, que consiste na Bênção dos Óleos e renovação das promessas sacerdotais por parte dos padres diante do bispo. O responsável por cada diocese pode decidir, ainda, a transferência para “datas mais convenientes as expressões de piedade popular e as procissões” da Semana Santa e do Tríduo Pascal. A Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou o número de casos confirmados de infeção para 1.020, mais 235 do que na quinta-feira. O número de mortos no país subiu para seis. Nos Açores há a registar apenas 4 infectados nas ilhas Terceira, Faial, São Jorge e São Miguel. Portugal encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de quinta-feira, depois de a Assembleia da República ter aprovado na quarta-feira o decreto que lhe foi submetido pelo Presidente da República, com o objetivo de combater a pandemia da covid-19, após a proposta ter recebido pareceres favoráveis do Conselho de Estado e do Governo. O estado de emergência proposto pelo Presidente prolonga-se até às 23:59 de 02 de abril.

Fonte: Igreja Açores

Ver também

A insustentável leveza da insensibilidade bancária

Vivemos momentos singulares, momentos impensáveis ao comum dos mortais face aos avanços no mundo da …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *