ESTAMOS A SER TODOS ENGANADOS

Mas que não haja a menor duvida que estamos a ser “comidos por tolos”, isto porque, o “benevolente” governo socialista, anunciou um pacote de medidas para as empresas de combate esta crise do coronavírus, que mais não é o enganar o povo. O que aparentemente parece ser uma “boia de salvação”, mais não é que um bom “lastro” a uma economia toda endividada e demasiado fragilizada há muito tempo.

Já diz o ditado que “com papas e bolos se enganam os tolos”, e é verdade. Vejamos as medidas para constatarmos que estamos a ser todos enganados.

O governo anuncia uma linha de crédito de 3 mil milhões de euros para as empresas, algo que aparenta ser positivo, mas não será. Isto porque, na prática os bancos, que já vão levando largos milhares de milhões de euros, recebem uma nova injeção “encapotada”. No fundo, esta linha de crédito tem juros e mesmo que não os tivesse seria para pagar. Quem irá usufruir dela? As pequenas e micro empresas? Claro que não, estas têm dividas ao fisco e à segurança social, logo ficam vedadas, em princípio. Ou seja, o pequeno comerciante, mecânico, eletricista, padeiro, pedreiro, etc, etc, etc, mesmo conseguindo o crédito, terão de o pagar, mais cedo ou mais tarde. Uma medida séria seria uma taxa negativa ou mesmo dizer que parte do crédito, e devidamente comprovado, fosse assumido pelo estado, para salvar as empresas e as famílias que dependem delas. Serão novamente os “donos disto tudo” a receberem as benesses e o povo a pagar.

Outra questão, no mínimo “ordinária”, é a suspensão por três meses dos impostos e segurança social. Ou seja, não paga agora, mas vais pagar mais tarde, mesmo que não tenhas ganho dinheiro nenhum nesta altura. O estado não perde absolutamente nada no meio disto tudo, mas nós sim. Uma medida acertada seria a isenção de IVA e redução, ou até mesmo anulação temporária, de impostos e contribuições sociais, pelo menos enquanto durasse toda a “quarentena”.

Mas fomos nós os causadores disto? Mas fomos nós que não tomamos medidas a sério e a tempo para que tal não viesse a acontecer? Claro que não! Então porque temos de pagar tudo isto? Preparem-se todos para uma vaga de despedimentos quando as empresas não se aguentarem em pé.

Claro que os articulistas do regime socialista soviético em que vivemos, pago com o suor do meu trabalho, vão dizer que sou má língua, derrotista e outros elogios mais. Mas tu que estás aí, que trabalhas todos os dias, que não consegues comprar a roupa onde eles compram, comer com a família nos restaurantes que eles comem, achas o mesmo? Vamos todos estar atentos às adjudicações diretas que isto vai ser um maior “rega bofe” do que já é.

Esta não é altura para fazer política, dizem eles, mas a melhor altura para nos irem ao bolso, para não dizer outro sítio. E não se admirem que no futuro haja um aumento de impostos, tudo por causa da tal crise do coronavírus.

Diz a experiência que os apoios serão tão bem tratados como foram os dos fogos, ou seja, para algibeira de alguns, sem dó nem piedade e sem justiça que nos valha.

Haja saúde e abre os olhos meu povo!

José Pacheco

Ver também

4ª feira da IV semana da quaresma

4ª feira da IV semana da quaresma Mar 25, 2020 | Campanha da quaresma 2020

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *