Diocese de Angra suspende todas as celebrações litúrgicas comunitárias

Diocese de Angra suspende todas as celebrações litúrgicas comunitárias

13 de Março, 2020 1 Por Azores Today

Diocese de Angra suspende todas as celebrações litúrgicas comunitárias

Mar 13, 2020 | Manchete

Medidas entram em vigor a partir de segunda feira

A diocese de Angra decidiu, em conformidade com as determinações da Conferência Episcopal, suspender todas as celebrações litúrgicas comunitárias como missas, procissões, lausperenes e outros atos de culto público a partir da próxima segunda feira.

“A partir da próxima segunda-feira, dia 16 de março, são suspensas as celebrações comunitárias da Santa Missa aos domingos e dias de semana, bem como procissões, lausperenes, e outros atos de culto público, até ser superada a atual crise de emergência, devendo o bispo diocesano levantar a obrigatoriedade de preceito da missa dominical para todos os fiéis” afirma um comunicado da cúria diocesana enviada a todos os sacerdotes pelo Vigário-geral, cónego Hélder Fonseca Mendes.

Ficam, também, “sem efeito” as celebrações do sacramento da confirmação ou crisma que estão a decorrer na ilha de São Jorge, a partir de 2ª feira, bem como a visita pastoral ordinária do Bispo diocesano àquela ilha.

São ainda canceladas as celebrações comunitárias ou privadas do sacramento da penitência ou da reconciliação, “a não ser por pedido explícito e necessário do penitente e salvaguardadas as devidas distâncias do confessor” e são suspensas as visitas dos párocos e ministros extraordinários da comunhão aos doentes, quer domiciliárias e a lares, refere ainda o comunicado.

Deve adiar-se as celebrações comunitárias dos sacramentos do batismo e do matrimónio, ou “em caso de necessidade absoluta” que sejam restritas apenas aos familiares diretos sem a participação de convidados. De igual modo os sacramentais ou bênçãos públicas devem ser evitados.

Relativamente aos funerais, a diocese determina que devem evitar-se os velórios com muita gente, devendo apenas estar presentes os familiares mais diretos do defunto. Ficam também suspensas as missas exequiais ou de corpo presente, de 7º. 30º. dia e de aniversário, até indicações em contrário.

“Esperamos fazer a avaliação desta situação até ao dia 3 de abril, de tal maneira que possamos celebrar a Semana Santa e a Páscoa comunitariamente, se as condições de saúde pública assim o permitirem” avança o Vigário-geral que, no entanto, alerta para a possibilidade do rito do lava-pés em 5ª. feira-santa, bem como a adoração da cruz em 6ª. feira-santa poder ser feito mas por uma genuflexão ou inclinação e não por osculação. Não é aconselhável a procissão da Ressureição aos enfermos, diz ainda o comunicado. As visitas turísticas às igrejas e espaços musicológicos das mesmas também devem ser evitadas.

“Aconselhamos os sacerdotes diocesanos a celebrarem a Eucaristia ao domingo e em dias de semana, ainda que de um modo particular, sem celebração comunitária. Aos demais fiéis, pede-se que acompanhem a celebração da Eucaristia dominical pelos meios de comunicação social ou pela internet, devendo estes manter as transmissões caso tal seja possível. Intensifique-se a vida de oração em casa, biblicamente alimentada, a escuta da criação e da natureza, a atenção familiar, o jejum dos excessos e a esmola de cuidar dos mais frágeis, como é próprio deste tempo da Quaresma ” refere o comunicado

Entretanto, foram igualmente desaconselhadas as romarias quaresmais pelo Movimento de Romeiros de São Miguel.

Fonte: Igreja Açores