“Terra Nova” – Longa metragem sobre a pesca do bacalhau traz à memória o passado da migração açoriana em busca do “sonho americano”

“Terra Nova” – Longa metragem sobre a pesca do bacalhau traz à memória o passado da migração açoriana em busca do “sonho americano”

11 de Fevereiro, 2020 0 Por Azores Today

A estrear nos cinemas a 19 de março, a longa-metragem “Terra Nova”, inspirada na obra de Bernardo Santareno, e com a Realização Artur Ribeiro, é dirigido ao publico geral, um épico que relata a história trágica dos bacalhoeiros e seus homens.
A produção é portuguesa, a cargo da CINEMATE, uma empresa de produção de cinema e televisão com créditos firmados no mercado nacional e internacional – e que pode ser consultada em www.cinemate.pt.
Esta longa-metragem configura-se de visualização interessante, até porque os Açores viram emigrar muitas das suas populações nos barcos baleeiros, nos séculos XVII a XIX, rumo à “terra nova” e ao “sonho americano”, pelo que este filme é também um pouco da nossa aventura baleeira.
Sinopse: “Nas águas geladas do Labrador, o lugre bacalhoeiro Terra Nova está a passar por um mau ano de pesca. Como o bacalhau é escasso, o Capitão decide navegar até à Gronelândia, rota nunca antes navegada pelos lugres. Enquanto a tripulação luta contra tempestades e o frio do Atlântico Norte, seguimos o drama de Albino, um pescador que já foi primeira-linha, mas caiu em desgraça após um naufrágio, e é agora considerado “má-sorte” para os lugres onde embarca. Apesar do Capitão liderar o navio com pulso de ferro, não consegue evitar um motim que compromete o objetivo da viagem, lançando homens contra homens, num conflito que surpreende Bernardo, um médico que faz a sua primeira viagem e que se encontra dividido entre a solidariedade para com os pescadores e o respeito pela autoridade do Capitão.”,
Actores: Virgílio Castelo, João Reis, Vitor Fernandes, Pedro Lacerda, Miguel Borges, Joao Craveiro, Joao Catarré, Ricardo de Sá, Vitor Norte, Rodrigo Tomás, Miguel Partidário, Manuel Sá Pessoa, Paulo Manso, Miguel Melo.