A deputada do PSD/Açores, Mónica Seidi, acusou hoje o Governo Regional de esconder informação relativamente à Operação Madrid-Terceira, lembrando que os deputados social democratas “pediram informações sobre o processo há quatro meses, sem nunca termos tido resposta da tutela”, adianta.

Com efeito, a 10 de setembro de 2019, os deputados eleitos pelo PSD/Açores entregaram um requerimento na ALRAA, em virtude de declarações tornadas públicas pelo Diretor Geral da Portugal Tours em Espanha, dizendo que a operação tinha condições impossíveis. No documento solicitaram cópia do caderno de encargos do referido concurso, bem como a lista de concorrentes admitidos.

“Passados quatro meses, o Governo Regional não respondeu ao referido requerimento, quando tem 2 meses para o fazer”, diz Mónica Seidi, considerando que “podemos concluir que o governo açoriano não está interessado em revelar os contornos da operação, não enviando atempadamente à ALRAA o que foi por nós solicitado”, refere.

“Além disso, e posteriormente, tornou o concurso em ajuste direto, mas nem assim a situação ficou resolvida. Já estamos em janeiro, e até agora não se vislumbra solução para esta situação, defraudando assim as expetativas dos empresários terceirenses”, critica a deputada.

Mónica Seidi recorda que a Operação Madrid-Terceira “foi uma aposta do executivo açoriano para combater a taxa de sazonalidade da nossa ilha”, uma vez que o mercado espanhol “é identificado, no plano Estratégico e de Marketing de Turismo dos Açores, como muito apelativo, e onde importa promover o destino Açores”, explica.

A social democrata acrescenta que “o fim desta Operação teve impactos negativos na economia da Terceira, dados os investimentos efetuados pelos empresários terceirenses”.

E lembra também que a informação dada pela tutela “era de que a operação teria inicio em outubro, e que haviam sido entregues várias propostas, que estavam sob avaliação pelo júri. Estranhamos que estas declarações, de setembro do ano passado, não tenham sido consequentes até ao momento, uma vez que o concurso não ficou deserto”.

A deputada considera igualmente que, “uma vez mais, parece-nos que o Governo não acautelou as condições para que a Operação pudesse ser um êxito. E os terceirenses não podem continuar a ser negligenciados pelo executivo regional”, concluiu Mónica Seidi.

Fonte: PSD Açores

Deixar uma resposta