Marcelo vai passar o fim do ano na ilha do Corvo, apesar do alerta de mau tempo

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera prevê mau tempo nos Açores no fim do ano devido à passagem de uma superfície frontal fria

O Presidente da República mantém os planos para fazer a passagem de ano na ilha do Corvo, nos Açores, apesar do alerta de mau tempo, com chuva e vento, para terça-feira, disse este domingo fonte da Presidência.

Neste momento não há nenhuma alteração de planos, mantendo-se o programa conforme previsto”, afirmou fonte da Presidência da República à Lusa.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê mau tempo nos Açores no fim do ano devido à passagem de uma superfície frontal fria.

Num comunicado divulgado este domingo, o IPMA disse que está previsto para terça-feira, nas ilhas do grupo ocidental (Flores e Corvo), muita nebulosidade e períodos de chuva, com o vento a soprar com rajadas até 100 quilómetros por hora.

É precisamente na ilha do Corvo que o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, pretende estar na noite da passagem do ano.

Além do grupo ocidental, o IPMA prevê que, nos grupos Central (Terceira, Graciosa, São Jorge, Faial e Pico) e Oriental (Santa Maria e São Miguel), o céu apresentar-se-á na terça-feira com abertas, com a ocorrência de aguaceiros e vento moderado a fresco.

Na quarta-feira, primeiro dia do ano 2020, a superfície frontal fria atravessará toda a região, provocando precipitação em todas as ilhas e vento a soprar fresco com rajadas da ordem dos 80 quilómetros por hora, sendo que as temperaturas mínimas irão variar entre 12 e 15 graus centigrados, devendo as máximas situar-se entre 17 e 19 graus, indicou o IPMA.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, anunciou no início do mês que irá fazer a passagem de ano na ilha do Corvo.

O chefe de Estado vai transmitir a tradicional mensagem de Ano Novo também daquela ilha.

Em 2018, o chefe de Estado passou o ano em Brasília, onde se deslocou para assistir à posse do novo Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, no dia 01 de janeiro.

Em 2017, tinha previsto deslocar-se às regiões atingidas pelos fogos de outubro, mas teve de cancelar a viagem por ter sido operado de urgência a uma hérnia umbilical no dia 28 de dezembro. Teve alta hospitalar no dia 31 de dezembro e foi forçado a abrandar o ritmo nas semanas seguintes.

 

Fonte: TVI24

Ver também

5ª feira da IV semana da quaresma

5ª feira da IV semana da quaresma Mar 26, 2020 | Campanha da quaresma 2020

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *