Semana dos Seminários realça importância de criar uma verdadeira “cultura vocacional” de entrega à missão

Semana dos Seminários realça importância de criar uma verdadeira “cultura vocacional” de entrega à missão

Out 11, 2019 | Manchete

Iniciativa decorre entre 10 e 17 de novembro e, nessa altura, os alunos do Seminário de Angra partem em missão por várias ilhas

A Semana dos Seminários que decorre entre 10 e 17 de novembro convida a um aprofundamento sobre o sentido da missão. Vários seminaristas do Seminário Episcopal de Angra partirão em missão, para o terreno concreto, dando a conhecer o trabalho que se faz na instituição., participando em catequeses, aulas de Educação Moral e Religiosa Católica e encontros vocacionais com jovens.

Na mensagem escrita para esta iniciativa, o Presidente da Comissão Episcopal das Vocações e Ministérios, D. António Augusto Azevedo, sublinha a necessidade de “formar discípulos missionários” que estejam disponíveis para um aprofundamento permanente do sentido da missão, apesar das dificuldades do mundo de hoje que oferece aos jovens “uma variedade de estímulos e uma multiplicidade de propostas geradoras de muito ruído e dispersão”.

“A vocação significa antes de mais um dom, um presente, simultaneamente o mais precioso e o mais exigente, porque os presentes de Deus são interativos, para os gozar é preciso arriscar”, refere citando o Papa Francisco.

“A vocação assim entendida é chamamento ao serviço missionário dos outros e ajuda cada um a descobrir e fazer brotar o melhor de si mesmo para o serviço da Igreja e do mundo.

“Abrir-se a esse dom implica um caminhar juntos com Cristo, na amizade e na liberdade, num seguimento próprio do discípulo que deseja aprender com o Mestre” esclarece.

“O Senhor não pensa apenas naquilo que és mas em tudo aquilo que poderás chegar a ser” refere o bispo de Vila Real que destaca a importância do período formativo no seminário, “o espaço necessário para o discernimento e para uma sólida configuração com Cristo “, que “é favorecido pela vida comunitária que ajuda cada um na descoberta de si mesmo e do outro”.

Referindo a importância das equipas formadoras como fundamental, D. António Augusto Azevedo lembra a necessidade dos seminários serem “ espaços de silêncio e oração essenciais para um profundo encontro com Cristo, para o consolidar uma verdadeira espiritualidade sacerdotal e sobretudo para tomar decisões ponderadas e estáveis”.

“O Seminário é o tempo indispensável para que o percurso de discernimento seja devidamente acompanhado, pessoal e comunitariamente. Em todo esse processo há perguntas a responder, dúvidas a esclarecer e receios a superar. Por isso , é fundamental o papel das equipas formadoras dos seminários, em articulação com a diocese e o seu Bispo, bem como o papel das famílias, das comunidades cristãs, dos grupos e movimentos e até dos amigos”, enfatiza.

Referindo-se a este evento que é a Semana dos Seminários, o prelado recorda que é a “ocasião para refletir na centralidade da questão vocacional e para um renovado compromisso em ordem a uma «cultura vocacional»”.

O bispo de Vila Real termina a sua mensagem com um apelo à generosidade de todas as comunidades cristãs para com os Seminários, seja do ponto de vista espiritual seja do ponto de vista material.

Fonte: Igreja Açores

Ver também

PSD quer explicações do Governo Regional sobre o fim da operação da Delta Airlines

O Grupo Parlamentar do PSD/Açores requereu, com urgência, a audição da Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo na Comissão de Economia, visando "ter explicações sobre o anunciado fim da ope..

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *