Pelo que vamos lendo, vendo e ouvindo, António Costa já ganhou isto! E, logo atrás, teremos o Bloco”SD” e o Partido dos Amigos dos Cães & Similares que Querem Impedir a Malta de Comer o Que Quiser.
Mas vamos começar por António Costa. O nosso segundo primeiro-ministro tem uma característica que muita gente não tem (eu por exemplo não tenho). É “fácil de gostar”. Tem aquele ar cómico e bonacheirão. E quem é que não gosta daquele amigo que diz umas coisas que não são para levar a sério com um ar bonacheirão? E, para além disso, ainda consegue fazer lembrar o Pai Natal. Os putos deliram com o velhote de barbas brancas e pedem-lhe tudo e mais alguma coisa. Só que os pais é que pagam. Costa é igual. Anuncia coisas de graça para os contribuintes pagarem. Os contribuintes pagam, mas os créditos são dele. Com as prendas no Natal é a mesma coisa. Os pais desembolsam e, no entanto, os elogios e os aplausos vão para o Pai Natal. A diferença é que, mais cedo ou mais tarde, os putos começam a perceber o esquema, mas boa parte dos contribuintes não.
PACCSAL
Tem sido uma disputa engraçada. Até eu que pensava que o fanatismo ideológico do Bloco de Esquerda seria difícil de bater, surpreendi-me com o Partido dos Animais e Clichês Confusos Sobre as Alterações Climáticas. Pessoalmente não tenho nada contra os fanatismos de uns e outros. Nada mesmo. Não posso é aceitar que me obriguem a aceitar o que me querem impor. Se a malta que acredita que o leite vem de uma torneira do hipermercado não quer comer carne de vaca, é lá com eles. Têm esse direito. E se eu quiser comer uma boa carne guisada é comigo. Eles que comam lá as suas rúculas enquanto eu associo um bom pão caseiro a uma boa carne guisada. Pelo menos é assim que eu vejo as coisas. Só que, para eles, a lógica não funciona assim. Eu quero comer o carne guisada e eles não querem que eu a coma. Eu fico feliz com um bom bife à regional. Eles só ficam felizes se me proibirem de o comer. Por este andar, a “malta” ainda propõe a alteração dos nomes e confeção dos pratos típicos regionais. Guisado de Seitan, Alcatra de Lentilhas e Quinoa à Lagareiro, por exemplo, e obrigatórios para todos. Confesso que até era rapaz para experimentar, mas experimentar uma opção disponível é diferente de me obrigarem a comer aquilo que eu não quero.
BlocoSD
Depois de António Costa ter governado o país com um programa em tudo semelhante ao programa que ganhou as eleições, o Bloco de esquerda diz-se social-democrata como o partido que ganhou as eleições legislativas de 2015. Depois de o Partido Socialista ter enfiado o socialismo na gaveta há umas décadas atrás, temos o Bloco de Esquerda a esconder o socialismo dos portugueses até 6 de outubro. Por estes dias, Catarina Martins, tem desfilado a sua candura pelas televisões, relembrando o governo anterior e esquecendo os quatro orçamentos que aprovou. O Bloco “Social-democrata” não deixou de dizer ao que vem. O seu programa, que ninguém irá ler, continua a querer o regresso do PREC de outros tempos mas, as frases de campanha, dizem tudo menos isso. Uma espécie de lobo com pele de cordeiro dos tempos modernos mas com as mesmas consequências de sempre.
Daniel Pavão

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here