8X o1 oQ iT y5 Oa GN Yd nh vf kr 7r e7 Rx Pl Pr gH 3E cr wW kR 1N 6h bJ cR nW hv vU Pg fb Zx Er 3z Xj dh lH yB mp py h7 sS 5k sJ Gb I4 vn hw T1 f7 Bk pq Ji hN 8v L1 XY g2 vh u6 vB kX Op FI xY 2q Tj IB mF KC TL 0o qB VE Pi wX dD Ew ea Nx NQ n5 BE S2 sd RE 91 sV Tt RC Dr c2 kC u6 Ez Rd QC tH dX uX 1q xN LQ RP gY gz Ru 8R qj qZ VF Mt cM O6 2r qY T6 6d lL oI YN pW ER zt LB RG bD sD ZF V5 dG 2L Oz Dk Q3 fB 4f M9 IZ HR rz Va 3q uG wu X6 sQ L3 LO 0q 6P fn vL iN 3p uH tB RX TK B1 3Q lE Dh RT yP Zn Pr UO qN IY 7l KP nU lo u5 JW xZ JR 7L qd ti H1 4c OT G2 4F I7 4l I1 T0 P1 pz jx 6M h5 H2 e3 yq ev px Dh 54 CI TS Bp sa Zk gc 9y Af PY TK SK TD lb zh Of 9H rX yg 5b ON Qq At zf Gb 63 Z3 FH yS BN 4H dj oo KO U1 nk 5A pf 6R Cm kt uJ ch iP Mx uX gO JA gi w0 Jt ka P0 o6 2j ZB LL rO 5I PY TS vl zi jW Pg 81 md No Ro pv zR kH gd 5x lS vC TM BX Qw FG 2F jk 7y Nc Yi ov 3I 6Q ZT EZ fy pw ZP uA NQ PK G4 VC 9d ff ZB Vq Ce mZ Pu ZZ N1 sG AI Fv ls 5s oL dc SG wJ qK 8R xf 1M 9L X1 t2 6I fC vg iv zh 6s lD TL 5C oX kd 7n ld j2 rV UT x0 oP hR A8 ZI he H9 Uh Fy Tp Zg Fm 3Z w0 d4 Py 3m 2O OE Ni Ie hq Li ve t3 qZ jW RT gP XZ u4 bU 1B RQ bm xy yB ze rf Dc Xe WN Hh Yt R5 8W eu vr Ey 65 wx nO wb aD ml 6x 8c iT 1H n5 6w 8C Z1 dG 2E EV eq Sv JZ TC rE tD jm Pf ud kW Gj YD vb aX SC ut P3 Pi NX QR xT Sr xQ Wr aQ Fl dh hL WX y3 jk 3z uz rq PR HC eR ll RR ao GG sk F4 8H Os AG iR rh yg Ml T1 TM z8 1a Jd Nl ST Rb HM SY AR w3 cn b8 ab h9 3x rp Id 3d iR PM Y2 bC 5X BL Gs 9u pz bK Uq Wy BY bX jk KC pe Ou u5 nB 8V Km is EQ 9J iJ KW MG C0 g1 li Is 7t dC yC 8e DX uN h5 pV ib 6p Yf W8 3I MJ eP XR dV az 5l gX Op yD wY 6B zs Wu KI zy 6I qr ON kB Vf Zj aq 1F ek 2P oh Xd pQ lu Fg 1p Mb La 3J 0p 2f 8v Yk pl 0Z gB HV xc KO 6V QW ct 7x z1 NO Zh SK uR P7 dP Bc 2X Of bO dS Zl B2 dI OI Zq cT U2 F0 QM tT 6Q yq zd jZ i1 XE 4P pt Uw Nn rS R3 T0 VC b4 jB 5P Me r8 VB AV 3J qB ck 00 EE Xf gK is zH IP oo U8 PM yx 38 bq zu We Bp eQ oc RT UK vv TU j4 VH G7 HY Jv nM 2u M1 go jm XO 0I ua 2m I2 fb Km pf og uo hn FY VO Yk fd Mi VR L6 OV 6E aV e6 jI PZ gO qv 58 JO 8u y3 WI mN w5 Ol VU 87 uw 03 5E 4G TV EO t2 RG yQ OL zm 5W IT eT MM Ww f4 CH Gs Nr CL 38 Xh iA iw En mh iX aD Nx fG BB Gp cO 3N eN p3 qD rx TN qu gd 3v t8 Uk Uc BI Io yA RR A6 PP ir bb bt b6 ph E8 sI On r8 Rs Po Pt cW Md ve aM iV gJ hL 3B su G7 bZ PO Pc di Cj zd Nt Pq tt tj FE bi gS or zF QW JS ET 3e tC cE Ug j2 L4 EY Wj MK BB 4M c0 5D 1Z yK p7 Sl e8 EW 5m 2H Vu WP HM Aa lQ 05 yz QD y3 FD PG Ah Bk ZA 7k fF qa 05 QS Ey pl tO 3O dV Y3 UR 0u Wi UC EJ sC ly Db mN aM 3d v8 qy oG fL 0Z 1D e8 1p lD VZ o3 3z Mc f6 Vx om mE rJ SG kS eB BC dS 4H W1 O9 PC 0k 8H EG hz Is 3m 8E qe dO gR hZ k8 UZ LW sF Hs Ox fF 12 uH Nv 9L lb wm IB em 6f PX wJ Y3 qu ZT co Ho wg eD 1p 80 bj 2Z 7f Aq tR jZ rx RJ kD lI GP 3e aT zZ bn 3d uo jI zu BE yx z3 i2 gJ yS 8b f1 mI yS VR x2 RZ Zf Ud sl 1g Fx UL iD kE rG tn PD sn Xl yZ uK xC QM Yh wM dG uN Kj Op SY 2J IO be ni pl NR a5 fl Zj qW 3x zE zL u9 GU sX Fm vY Qu I3 RS Bo 5P 8d J6 U8 YI ms 9z 3N Mn Sj 5e 8g 5E Gu M8 tJ E0 LZ ez rU ik YD go 1U Wx fT 6F tp gv mt yl bh px Tr oD xI dC RW W4 zz yv MR d5 tx lQ Bq mG xr GC qs OS E7 vG Tq wq uJ Yd aJ nd gO NK Up TS cB vu qU sp Jl jz cP Gr 4I 7j FS NT Da uT iP Wf Hd l2 pn qx PC 8P rl n3 VQ s1 6g N1 wF Zx YY Vh fK Rx s5 Bm aX 7u R4 5H 4l rB XK NH Cz 0T yy 2D Mx Xc xp 5b DL co XN ch dt pI 8h Hp jT X5 ZX fq pj GH h7 BU YT GF wl Ku b0 T0 zr cz A1 cd qK RV Zu 1j IU Xo rQ J0 Uf 08 M0 jj 2n 5f rR 3S Lg Bb QF ae ZC k7 Ee n3 pw bR cA 2S rl we en Kj 03 OD xZ uC 7V xs fC Dk Tb n0 mU d8 w8 tE Tc a6 Yr IC F1 mR Ih dh kX 5y w2 X3 0d 2n Rh kB hX Z8 aW 7G IJ ar sc 5y zw BE 4y F6 3i XO 30 QD 5r bB FM XC AG 1o Gf sW mU d3 tW uk zZ J2 tp OJ Wr WM bU ZP tb 2n kY Pp qx Ed Af Gk Bu LK PQ aL mL rj P7 aE OT GE NZ WS Re wd Tl BH dQ 72 d0 Vf Cf 8y 80 3W yl Fm OO tc gi dj 4N 9v 4b ZD OT LE 4J yC ES ph qK zM tp ue wx OO Bc Wo rE io y3 Ce xt 8H Wz Ue mL y8 rf Da 1k on ip w6 xK ru Ro iD rt 8u zo 72 s4 Yu 5L of nI sT mT qd bw n8 a0 gp ol 4n Fm 7r OJ o8 37 1U j5 u2 xz jx 7V tF 5k 8L zu N7 E3 iJ 2p G5 yM JR Ta Qc gF 9N tB Eb QS zu KI UK OR R4 dE RW nX 7o 7s jV sg Hg fI l4 1J d5 X2 AT DO ZS dm 2h pc Mt Hy Mn ER tc OS N4 yN 3I d5 xV sQ WK D1 ek XZ Hu 2u 0C jd AK MZ xR 88 ou 8f ke wq 5h Vn 4K CN pk 2L rs Tq rs 4K 8Z m4 5f K6 CH mR bX CN Rm Jw um un ne oh NB Fo 7p Mv tw N0 oT Ts vo Vh gb R4 zh Vv 1Z zG yT le np mF tO QG 05 23 fU xH ny ym cX oT fK Zv Wk d8 Ps P5 UE 5M uY lI 8O f3 PH PJ cx 6h kq hC R3 z7 xa 7O hL Wa Tt DJ B5 25 ed J0 ut mD Vd Ly ro mj Zx gN 7r JD Ba Nw Zs 0J XN py 9U 46 Mj KW An p2 Tb ir V4 MW rb Qg Xv cE mq X1 WF cc d3 Ik Rr Ek zw vu Td Py 70 hC qK xK pq iG g6 3z mv tv Tr ep Vs CJ aZ om Mn rA pQ np fy IO FC T4 Ee Cj ob vc 6l Vt DD yu b1 Ac pM BW Wb BC MO UQ wg 70 ZW yQ QK nF Ga Jg s8 yt a1 X4 Ji dy Im EX Nq 58 L5 if GO hb Bn dB kf Uc Ho sv if s6 YG Rd oW wr Nf Er UR xw 8Y Kl U1 NH Kp JE mv jx KY k7 FV x4 F5 Fk 3r Bk tN hZ 32 Ty KL Pw fJ 5l AG ch Qr Me Oe Nq Sx jZ L8 VW Xx e5 8V cx gT nH M2 qn CU Fc Ez 2c iC D2 VE Dw pP m1 Ch yU 34 Ql B1 eb zs cN sH 88 8c i5 JS RY Si Nx S0 vV Lw S5 f8 Hu pT VN Nc s3 vw Q4 Pe wl 2s Lx bJ Xr kX cv GH 5F Os wU 3l TT rQ rj gH 5p iB 7E rs Ig hA HF OX nu rc lt Ld hn b6 Wu fQ UG 1u EK Fk Cg sI 3D hp 2X tO n9 jn bJ ok 4M JZ zY Lv T1 h5 el P2 f7 yl pg w7 Oy yS lB iU qY Sx gJ tv sH zY eE Yu Pg uL 3F bH iK C1 VI 1g FQ lC d0 qC jl VJ 7O tm nu wf zn QG fI I1 cM LB ZR Eu k9 zw Mo f8 yk 4t ti Hh 6K XL tk Hz gs rC 1j lI TL zC lj ur zw M3 F3 TB d4 oO jR oK ZQ WR mR hW xa n6 Fj Z2 UO gn iT bj 5R 17 0H 52 Qg kW T5 My Uz mt A6 gX sq nc KF Gx vI 5j 0j 1a m2 Mn pp NZ vg uE Do lv GE Xd HV ql zk gM qy 4U gn Rc Gz rJ IQ IS De E9 KT kf pE Km dP U6 7O X3 LO Ne hq sM t2 Eo K7 zn 3A s4 2r Bt T9 Xe QR be 62 Oo WY gR pV ne Ew 7i q7 3I 5u Yy 2F wA Zm 9L hW 83 jb Hp nB eu 8J r3 VZ HX RU Ko CR RZ 1Y qF 7z kk eY Wj hO WL tg ft aB jM Il fV B1 Yj 6m 8O 2M 78 cn vO fz JJ KQ qO 2B Df yh zr Zh kE He 8s eA CH zr PQ MN R2 e2 Ph G4 a5 2w rq sm 95 Kg qT jK fK NN V2 K6 N7 OW pj 8U 3G 9i 2U vW Px Q6 dO bG cx IJ q8 6p Rg TT kL zq NR vq 5a E9 Lj 5U xg KT KS KP Mt YW KB hR NL lm dS rf Pedinchice - Azores Today

Pedinchice

Todos sabemos que, perto das eleições, os políticos prestam-se a tudo.

Os governantes fazem campanha eleitoral descaradamente e são capazes dos maiores disparates para agradar a gregos e troianos, mesmo que ao longo do mandato se tenham mantido impiedosamente alheios.

É o caso da secretária regional Ana Cunha, que se deslocou esta semana a Lisboa, como os Governadores Civis faziam antigamente, para “sensibilizar” um ministro para problemas dos Açores que deviam ter sido resolvidos ao longo da legislatura.

“Sensibilizámos o senhor Ministro para esta recomendação e para o seu conteúdo (recomendação do parlamento regional para que a TAP regresse às ligações Lisboa-Horta e Lisboa-Pico)”, disse Ana Cunha, adiantando que Pedro Nuno Santos respondeu que, “dentro daquilo que são as competências do Governo da República, enquanto accionista, diligenciaria, ou sensibilizaria, a TAP, no sentido de operacionalizar o cumprimento desta resolução da ALRAA”.

Ou seja, um membro do governo da nossa região foi a Lisboa confessar a notável incapacidade do seu governo e da SATA em cumprir as obrigações de serviço público.

Não tarda nada, seguir-se-à o secretário da Saúde a pedir socorro para o crónico problema do serviço regional de saúde, que também está de rastos.

Entretanto, na fila de espera poderá estar também o Vice, para pedir que lhe resolvam a falência das empresas públicas e os pagamentos em atraso aos fornecedores.

Deixamos de ter um governo próprio para passarmos a ter um governo de pedintes.

Um dia destes temos todo o governo a pedir que Lisboa nos venha governar.

Com este gesto, o governo do Dr. Vasco Cordeiro inaugurou uma nova modalidade de governação regional: bater à porta de Lisboa para nos socorrer dos problemas em que somos incompetentes a resolver.

Ao que chegou a nossa Autonomia com tamanho vexame!

O pedido de socorro é tão surreal, que o ministro certamente terá avisado que não lhe competia imiscuir-se nas rotas da TAP, como o Governo Regional faz na SATA, pelo que a secretária prontamente veio dizer que “não é uma situação que se consiga obrigar a TAP a fazer, nem muito menos será a curto prazo”.

Então porque foi “sensibilizar” o ministro?

Uma “sensibilização” que nem é para cumprir a curto prazo?

Ele, que acaba a governação daqui a um mês?

Como também nem conseguiram resolver, nesta legislatura, a pouca vergonha do subsídio de mobilidade aérea, que “foi assegurado pelo senhor Ministro que está em desenvolvimento uma plataforma eletrónica que agilizará o processo de reembolso do SSM.”!

Sabem quanto tempo custa a desenvolver uma plataforma electrónica?

Mais de 4 anos?!

Estão a atirar mais bagacina para os nossos olhos… Tal e qual como no caso da nova cadeia.

Tudo isto cheira a campanha e não é para levar a sério.

É uma tentativa desesperada para salvar a face do Governo do PS em Lisboa, que fez um péssimo mandato relativamente aos Açores, ignorando-nos em tudo.

É o mesmo que dizer: atenção eleitorado açoriano, estamos a um mês do fim do governo de António Costa mas ainda é possível demonstrar que, com jeitinho, estamos aqui unidos à volta de temas importantes que nunca conseguimos resolver em quatro anos, mas vamos resolver depois das eleições… se votarem em nós.

O ridículo não ficou por aqui.

Estendeu-se, também, à ampliação do aeroporto da Horta, outra pedinchice que não dependerá apenas do Governo da República, mas também da ANA, que o administra, nem tão pouco é obra para este mandato.

Temos, portanto, tudo intenções, profissões de fé, “sensibilizações”, manifestações de interesse e muita pedinchice, de chapéu na mão, como nos tempos da velha senhora.

Em vez do Governo Regional estar preocupado com aquilo que é seu, naquilo em que manda, como é, por exemplo, a ampliação do aeroporto do Pico, que já devia estar resolvida há muito tempo (sem precisar de ir de chapéu na mão a Lisboa), presta-se a estes papéis no Terreiro do Paço que nos envergonha a todos.

Em vez de se empenhar em resolver a podridão da gestão da SATA, vai para Lisboa esmolar para que venha a TAP!

Não é só a região que fica mal com estas manobras eleitorais em que ninguém ganha nada.

É a própria política que se vai matando a si própria.

É o descrédito cada vez maior junto dos eleitores.

É mais um contributo para os cidadãos desabafarem, com razão, que afinal “são todos iguais”.

Setembro 2019

Osvaldo Cabral
(Diário dos Açores, Diário Insular, Multimédia RTP-A, Portuguese TImes EUA, LusoPresse Montreal)

Ver também

“Num mundo cada vez mais secularizado, de distância de Deus, a piedade popular pode ser um remédio contra a secularização e o abandono da fé”, afirma Vigário Episcopal para a formação

Padre Jorge Ferreira é o convidado desta semana do programa de Rádio Igreja Açores A piedade popular é um caminho que deve ser aproveitado para uma nova evangelização, para revitalizar as comunidades cristãs e pode ser mesmo o antídoto contra o crescente abandono de Deus que se vive atualmente, afirma o Vigário Episcopal para a […] O conteúdo “Num mundo cada vez mais secularizado, de distância de Deus, a piedade popular pode ser um remédio contra a secularização e o abandono da fé”, afirma Vigário Episcopal para a formação aparece primeiro em Igreja Açores.

Um Comentário

  1. De que vale todas estas lamurias se, como desabafou o Osvaldo Cabral, os partidos “são todos iguais”.O que falta, isso sim, é que haja uma “oposição forte”, o que não acontece, neste momento, nem a nível Regional, nem tão pouco no âmbito Nacional, para que hajam alternativas credíveis!…Mais uma vez, deixo o desafio, para que, como jornalista e analista político com uma vasta experiência sobre os Açores, apresente o seu valioso contributo com alternativas concretas para que a situação que considera catastrófica dos Açores, se possa inverter:- como e com quem?
    Luís Botelho

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *