Prece

Prece

25 Maio, 2019 0 Por Azores Today

Sentado num banco do Campo de São Francisco, o velho pescador, de pele enrugada pelos muitos anos de mar que trazia, olhava para o vazio.
Sozinho, relembrava a alegria de outros tempos em que acompanhado pela mulher e pelos dois filhos, ainda pequenos, reencontrava, ano após ano, o Senhor Santo Cristo no sábado da mudança da Imagem. Depois, pela noite dentro, admiravam a iluminação do Santuário da Esperança e consolavam-se a passear por entre as bancas de venda espalhadas pelo meio da Festa.
O velho pescador recordava a imagem dos filhos aos saltos, animados com os rebuçados de açúcar e os assobios de barro comprados, que provocavam sorrisos ternurentos na sua mulher.
Hoje, o velho pescador, viúvo e com os filhos emigrados, era um homem só.
Apesar de pouco sair de casa, tinha de vir neste sábado ao Santuário e pedir ao Senhor Santo Cristo que tratasse de um netinho, garantindo que o filho e ele próprio, para o ano, cá estariam para pagar a promessa.
Por entre a multidão, o velho pescador serenou ao ver a Imagem do Senhor.
A sua prece estava entregue.

Pedro Nascimento Cabral