Graciosenses honram voto com mais de 300 anos e rumo ao Monte da Ajuda

Graciosenses honram voto com mais de 300 anos e rumo ao Monte da Ajuda

Mai 24, 2019 | Açores

Peregrinação começa na Igreja da Guadalupe, passa pela de Santa Cruz até ao cimo do Monte da Ajuda

A Peregrinação de Penitencia em honra da Senhora de Guadalupe ao Monte da Ajuda realizou-se hoje, dia 24 de Maio, cumprindo 302 anos de voto dos Graciosenses.
A procissão que liga as freguesias de Guadalupe e de Santa Cruz, saiu às 8h00 da Igreja de Guadalupe, depois da celebração de uma eucaristia e, após passar pela Matriz de Santa Cruz, subiu ao Monte da Senhora da Ajuda, onde foi celebrada uma Missa campal.
Esta este ano, a celebração deste voto foi presidida pelo padre João da Ponte, natural da Lagoa, a paroquiar na ouvidoria da Povoação. O sacerdote micaelense lembrou que o objetivo de uma peregrinação é sempre provocar o encontro intimo com Deus.
Após a missa, iniciou-se o regresso à Igreja da Guadalupe, num percurso que totaliza 10 quilómetros, e que, todos os anos, é percorrido por gente de todas as idades.
A tradição é de que se realize a 24 de Maio, mas nunca ao Domingo, pois a origem do voto está na oferta de um dia de trabalho para que a peregrinação se cumpra e se louve Nossa Senhora com esta romaria.
A Peregrinação de Penitencia da Senhora de Guadalupe ao Monte da Ajuda realizou-se hoje, dia 24 de Maio, cumprindo 302 anos de voto dos Graciosenses.
A procissão que liga as freguesias de Guadalupe e de Santa Cruz, saiu às 8h00 da Igreja de Guadalupe, depois da celebração de uma eucaristia e, após passar pela Matriz de Santa Cruz, subiu ao Monte da Senhora da Ajuda, onde foi celebrada uma Missa campal.
Esta este ano, a celebração deste voto foi presidida pelo padre João da Ponte, natural da Lagoa, a paroquiar na ouvidoria da Povoação. O sacerdote micaelense lembrou que o objetivo de uma peregrinação é sempre provocar o encontro intimo com Deus.
Após a missa, iniciou-se o regresso à Igreja da Guadalupe, num percurso que totaliza 10 quilómetros, e que, todos os anos, é percorrido por gente de todas as idades.
A tradição é de que se realize a 24 de Maio, mas nunca ao Domingo, pois a origem do voto está na oferta de um dia de trabalho para que a peregrinação se cumpra.
O Presidente do Governo dos Açores concedeu tolerância de ponto, neste dia 24 de Maio, aos trabalhadores da Administração Pública Regional na Graciosa. Assim, os serviços públicos e escolas estiveram encerrados esta sexta-feira.

Fonte: Igreja Açores

Ver também

Decretada situação de calamidade pública nos Açores (Som)

Fonte: RTP Açores (clique neste link para ver o video)

Deixar uma resposta