Campanha

A direcção política do PSD/A decidiu não fazer campanha nas próximas eleições para o Parlamento Europeu como protesto pelo oitavo lugar disponibilizado na lista nacional do partido. Perante o silêncio de José Bolieiro, Presidente do Congresso, de Joaquim Machado, Presidente dos TSD/A, bem como de Berta Cabral e de A. Ventura, deputados à A. República, é forçoso concluir que todos eles concordam com tal decisão, a qual, no nosso entender, constitui um grave erro político com nítido prejuízo para os Açores e descredibiliza fortemente o PSD/A. Para os Açores, porque a visão social democrata sobre a nossa posição na Europa fica arredada do debate político regional com os demais candidatos. A defesa real dos interesses dos Açores sobre os do PSD/A impunha a conciliação de um lugar na lista nacional. Para o PSD/A, porque se coloca numa posição totalmente absurda de, em maio, não apelar ao voto dos seus militantes no PSD, para, logo a seguir, nas eleições nacionais de outubro, pedir aos mesmos militantes uma enorme votação no mesmo PSD de Rui Rio.
Um caos…

Pedro Nascimento Cabral

Ver também

“Perdeu-se dentro da sociedade e da família alguma capacidade de tratar do outro, sobretudo do mais velho”

Rute do Couto, médica cardiologista, é a convidada do programa Igreja Açores A evolução da saúde permitiu uma maior longevidade e qualidade de vida, mas também permitiu a perda de capacidade das famílias e da sociedade em geral de olhar para o mais velho e ajudá-lo a passar a última fase da sua vida, em […] O conteúdo “Perdeu-se dentro da sociedade e da família alguma capacidade de tratar do outro, sobretudo do mais velho” aparece primeiro em Igreja Açores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *