Porra Senhores Jornalistas!

Eu até que não me aborreço muito a ver futebol, ou a seguir os campeonatos, excepto quando jogo a seleção nacional. Mas acontece que sou daqueles que gosta de trabalhar um pouco à noite ao computador e de igual modo gosto de ter os canais noticiosos como companhia.
 
Caso não tenham ainda reparado a maioria do tempo destes canais são ocupados, em boa parte da semana, por “debates futebolísticos”. Para mim não passam de “zaragateiros” de café a discutir o clubismo, só faltando mesmo a cerveja e o tremoço já que a falta de nível e o insulto fácil estão permanentemente presentes.
 
A verdade é que quando sou surpreendido com uma noticia de ataque a um árbitro, de forma violenta, fico muito preocupado, até porque o agredido em causa é um familiar muito próximo de mim. A minha indignação não é pelo facto de ele ser meu parente, mas sim por cada vez mais as televisões cultivarem e promoverem este tipo de violência no desporto, especialmente no futebol, para ganharem mais uns trocos com a subida de audiências.
 
Vivemos num país em que todos são manipuláveis, desde o politico ao sapateiro. Tudo tem um preço ou um custo, mesmo que seja o da propaganda gratuita da violência, da publicidade enganosa de se vender falta de civismo com o rótulo de desporto.
 
É triste ter que aturar estes “jornaleiros”, que mais apetece chamar de arruaceiros, sob a capa pomposa de jornalistas desportivos. Só os levarei a serio no dia que falarem do assunto em questão (o desporto) de forma objectiva e séria, tratando do que se propuseram e não do que é secundário, num mundo futebolístico cada vez mais denso e negro.
 
Para o agredido o meu sentimento é de solidariedade uma vez que no exercício de qualquer actividade ninguém merece ser alvo de violência. Para o agressor, tenho sempre a esperança que tenha sido um acto irreflectido, que jamais se repetirá e apenas fruto de um momento mais aceso e menos pensado.
 
Quanto aos tais jornalistas ou directores de órgãos de comunicação social que muito gostam de tirar dividendos à custa da violência gratuita só tenho a dizer: Porra senhores jornalista!
 
Haja saúde e muito tino
 
Ribeira Chã, 26 de Fevereiro de 2019
 
José Pacheco in Azores Today

Ver também

Sinais de agressão – VÍDEO

Fonte: RTP Açores (clique neste link para ver o video)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *