A Viola da Terra nas Escolas

A Viola da Terra nas Escolas

22 Fevereiro, 2019 0 Por Azores Today

Na última década, o músico e professor Rafael Carvalho, tem se deslocado a várias Escolas para dar palestras sobre a Viola da Terra e sobre o seu contexto e importância no passado e presente dos Açorianos.

O objectivo é de levar aos mais novos algum conhecimento sobre o instrumento, provocar o diálogo e despertar a curiosidade. O músico costuma projectar vídeos de tocadores de Viola de outras Ilhas dos Açores e costuma executar alguns temas ao vivo, passando depois por um momento final de experimentação do instrumento por parte dos alunos.

Estas sessões têm decorrido em salas de aulas, auditórios ou bibliotecas, consoante o público alvo e o número de alunos envolvidos.

A última sessão decorreu no Auditório da Escola Básica Integrada da Maia a convite da Equipa da Biblioteca Escolar da Escola, onde estiveram presentes mais de uma centena de alunos e seus professores. Na sessão o músico contou com a participação do aluno José Ferreira que, sendo seu aluno no Conservatório Regional de Ponta Delgada e na Escola da Maia, apresentou 2 temas em Viola da Terra para os colegas. O impacto junto dos alunos é sempre maior quando podem assistir aos seus colegas, da mesma idade, a tocar um instrumento musical.

São momentos que despertam sempre a curiosidade e interesse mas que não são suficientes para abranger todos os alunos de modo contínuo e com resultados directos. Rafael Carvalho apelou ao ensino da música tradicional Açoriana nas salas de aulas das escolas dos Açores. Referiu que, desde 1987, se ensina o “braguinha” nas escolas da Região Autónoma da Madeira e que, desde 2006, se desenvolve o projeto “Cante nas Escolas”, nas escolas do 1º ciclo do ensino básico, no concelho de Almodôvar e Serpa, onde as crianças aprendem o Cante acompanhadas pela Viola Campaniça.

Estas formas de se ensinar a Cultura Popular de cada Região, por intermédio da sua música e dos seus instrumentos tradicionais, são um passo que a Região Autónoma dos Açores necessita de implementar, e tem de ser junto dos mais novos, para que cresçam com esse conhecimento e com a curiosidade de quererem saber e aprender mais.

As sessões têm passado por Escolas do Ensino Básico e Secundário, a convite de Professores ligados à lecionação das disciplinas de Cidadania, Música, História, bem como a convite dos responsáveis pelas Bibliotecas das Escolas. O músico foi, ainda, por duas vezes, à Universidade dos Açores, a convite de professores ligados ao Património e Antropologia. Estas sessões dependem da disponibilidade do orador, pois são realizadas fora do seu tempo de actividade lectiva. Rafael Carvalho tem oferecido os livros do seu “Método para Viola da Terra” às Bibliotecas de várias Escolas por onde tem passado de modo a que possam estar disponíveis para os professores que desejem trabalhar a nossa música tradicional.

Fonte:Associação de Juventude Viola da Terra