Pobreza

O Governo Regional do partido socialista já reconheceu que existe nos Açores um problema grave de pobreza e de exclusão social e que ao longo de mais de duas décadas foi incapaz de travar a progressão de tais fenómenos, motivo pelo qual aprovou recentemente uma Estratégia Regional para os combater.
Ficou assim provado que as medidas protagonizadas pelo Executivo socialista, essencialmente distributivas e de carácter assistencialista, materializadas em subsídios de diversa ordem, não resolveram o problema da pobreza, tendo, pelo contrário, originado dependências que em pouco tempo se estenderam de pais para filhos.
Defendemos, por isso, novos métodos de abordagem a estes flagelos sociais, que passam não só por acompanhar o modo como os recursos financeiros são aplicados no terreno, mediante atitudes de pedagogia propensas à boa administração da economia doméstica dos beneficiários, mas também pelo cumprimento de objectivos escolares e de trabalho a favor da comunidade.
Somos todos responsáveis pelo desenvolvimento da nossa sociedade.

Pedro Nascimento Cabral

Ver também

Agravamento da situação exige “restringir ao máximo” qualquer “ocasião de contágio”, afirma presidente da CEP

Bispo de Angra pede aos católicos que cumpram regras ditadas pelas autoridades de saúde O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) disse hoje que as comunidades católicas querem “colaborar ativamente” com toda a sociedade para superar o “pico” da crise pandémica e “inverter a curva ascendente” de contágios e mortes por Covid-19. “É uma situação […] O conteúdo Agravamento da situação exige “restringir ao máximo” qualquer “ocasião de contágio”, afirma presidente da CEP aparece primeiro em Igreja Açores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *