Câmara entrega Prémios de Mérito Escolar a 24 alunos

O Presidente da Câmara de Ponta Delgada, José Manuel Bolieiro, vai entregar, na próxima segunda feira, 10 de dezembro, os Prémios de Mérito Escolar do Município, numa sessão que terá lugar às 17h00, no Salão Nobre dos Paços do Concelho.
Os prémios, relativos ao ano letivo 2017/2018, serão entregues a 24 estudantes do ensino não superior do concelho de Ponta Delgada.
Esta é a quinta edição de uma iniciativa pioneira nos Açores que tem como grande objetivo premiar o mérito e, desta forma, incentivar os alunos a prosseguirem os estudos.
Não obstante esses prémios servirem para distinguir e reconhecer publicamente os melhores de entre os melhores, em vários níveis de ensino, acabam, também, por se transformar num incentivo a todos os estudantes em geral para que estes consigam alcançar o mérito.
Os Prémios de Mérito Escolar consistem na atribuição de um montante pecuniário e de um Diploma de Mérito Escolar ao melhor estudante de cada estabelecimento de ensino não superior do concelho de Ponta Delgada, que tenha concluído o terceiro ciclo do ensino básico, o ensino secundário, o ensino profissional e/ou os cursos básico e secundário do ensino artístico, com um comportamento escolar irrepreensível e aproveitamento escolar excecional.
Este prémio tem um impacto financeiro de 11.200 euros, distribuídos por 24 alunos das Escolas Secundárias Antero Quental, Domingos Rebelo, Laranjeiras e Colégio Castanheiro, das Escolas Básicas Integradas de Ginetes, Capelas e Arrifes, do Conservatório Regional de Ponta Delgada e das Escolas Profissionais ENTA, INETESE, APRODAZ, EPROSEC, EHFT (Escola Hoteleira), Santa Casa da Misericórdia de Ponta Delgada – MEP e Câmara do Comércio e Indústria.
Assim, cada aluno nomeado pela sua escola beneficia de um apoio que varia entre os 400 euros e os 500 euros, mediante o nível de ensino concluído.

School 880033 1920Fonte: C. M. de Ponta Delgada

Ver também

Apoio energético solidário. Governo não esteve do lado das IPSS

A deputada do PSD/Açores, Catarina Chamacame Furtado, considerou que o PS “não reconhece a importância da missão das IPSS”, uma vez que chumbou “uma iniciativa como o apoio energético solidário, que visava promover o alívio financeiro destas instituições”, afirmou. “Ficou bem claro que a bancada (P..

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *