Rabopeixense Márcia Sousa homenageada como “Mulher do Ano” em Bristol

(BRISTOL, EUA, POR AUGUSTO PESSOA) – Há pessoas que têm o condão de atrair multidões. Suscetíveis de grandes empreendimentos. Amabilidade na aproximação. Resultados memoráveis. Compreendidas. Incompreendidas.

Toda esta retórica, para qualificar Márcia Sousa. Uns vão dizer: exagero. Outros vão dizer: acertado.

Uma coisa podem ter a certeza, um erro irrecuperável, em termos de Consulado de Portugal em Providence.

Não há insubstituíveis. Toda a gente tem capacidades. Uns mais, outros menos. Assim o pensa Lisboa.

Mas que desconhece o necessário, para manter uma comunidade unida e activa.

Tudo isto é sobreposto pelas leis. Por detrás dos bastidores há os oportunistas. Aqueles que procuram um lugar ao sol. Mas que não reúnem as condições para o desempenho das funções.

Vejam o exemplo, histórico, da não menos histórica visita de Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, a Providence, no âmbito das celebrações do Dia de Portugal.

Dizia José Velez Caroço, então cônsul de Portugal em Boston: “A visita do Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa a Providence deve-se a Márcia Sousa”.

Contra factos não há argumentos. Estes (os factos) falam por si.

Mas como diz o povo “não vamos chorar sobre leite derramado”.

Lisboa decidiu a seu belo prazer.  Marcia Sousa, para mostrar que não estava com a comunidade, só pelo facto de ser cônsul de Portugal em Providence, vai continuar junto da comunidade.

Enveredou pelo sector privado, onde aliás se tinha iniciado após finalizada a universidade.

E aqui  um sector privado que apostou em Márcia Sousa. Um sector privado com alta responsabilidade.

Henry Gonsalves Comp. tem um longo historial de importação de produtos alimentares portugueses.

“Agradeço a todos os membros da direcção, na pessoa do seu presidente Elísio Castro e sua esposa e a todos os sócios e membros do Bristol Sports Club”, foram as palavras iniciais de Márcia Sousa, rodeada por elementos do inconfundível poder associativo em Rhode Island.

“Estamos perante pessoas que se sacrificam no seu dia a dia para se dedicarem aos clubes e associações e a todas as actividades inerentes a ele para poderem manter viva a nossa tradição, cultura e costumes”.

E esta visão de Márcia Sousa, está espelhada no Portuguese Times, dado que acompanhamos o poder associativo no seu dia a dia.

Por afazeres profissionais chegámos ao Bristol Sports após o jantar.

Já se comentava (assim nos disseram a ausência do Portuguese Times.) Não admira. Se não fosse este órgão de comunicação social, presente, nada saia do salão onde teve lugar a homenagem. Mas o coração por vezes fala mais do que a boca.

“Dedico esta homenagem a toda a minha família. Transformaram aquela  criança que nasceu um ano após a revolução em Portugal na pessoa que sou hoje e que apesar de não estar a viver fisicamente lado a lado estão no meu pensamento”.

Foram as palavras que identificam Márcia Sousa.

Aquela Márcia Sousa que conhecemos em Ponta Delgada, quando acompanhávamos a procissão do Senhor Santo Cristo dos Milagres e que João Correia veio ao nosso encontro e nos disse, em segredo: “Aquela beldade é a jovem que vai casar com o Danny”.

Mas como a imagem se aproximava não podemos ver em pormenor, o que só viria a acontecer nos States, tempos depois. “O facto de vir residir para uma zona dos Estados Unidos onde se concentra uma larga percentagem de portugueses, foi mais uma valia e foi muito importante para mim. Ter a oportunidade de ter um trabalho, em que dia a dia posso contactar com portugueses, falar a nossa língua, poder apoiá-los e ajudá-los com os mais variados assuntos e poder sentir-me útil e bem comigo própria, ajudou-me em muito a minha adaptação a esta nova realidade”, referiu Márcia Sousa.

Sem uma referência directa, Márcia Sousa, falava do excelente trabalho desenvolvido junto do Consulado em Providence e em cuja coroa de glória foi a visita do Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa.

E aqui podemos acrescentar o facto de a visita já se efectuar fora de funções oficiais, mas numa demonstração de grande carácter e profissionalismo em respeito pelos patrocinadores, manteve-se de cabeça erguida, levando o projecto a bom termo.

Dizia-nos uma das mais ilustres figuras da comunidade: “Márcia Sousa deu uma grande lição a Lisboa. Sempre me pautei pelos mais elevados valores de respeito aos meus superiores e aos mais altos valores de portugalidade. Mas perante a lamentável atitude por parte das entidades oficiais portuguesas, quer aqui nos EUA, quer em Portugal, não me parece que teria uma atitude semelhante.

Márcia deu uma grande lição de portugalidade de que Lisboa desconhece o valor”.

São estes valores, que fizeram de Márcia Sousa uma senhora que se soube elevar pelos seu trabalho, pelo seu profissionalismo, pela sua acção comunitária, cujos valores foram realçados na distinção de “Mulher do Ano” do Bristol Sports.

Dizia Sofia, a filha do casal: “Mommy foi trabalhar para o consulado quando eu tinha dois anos de idade. Adorava o seu trabalho, mas não foram bons para ela. Gostava do seu trabalho porque ali no consulado podia ajudar pessoas e mantinha-se em contacto com Portugal. Uma vez que eu lá estava foi lá um senhor pedir ajuda, porque a mulher lhe tinha roubado tudo. Até a dentadura postiça. Com ajuda de elementos da comunidade a minha mommy comprou-lhe roupas, comida e foi mais longe, conseguiu-lhe uma passagem na SATA para São Miguel.”

São estes os exemplos que sublinharam a acção de Márcia Sousa e que Portuguese Times como é o único que está em todas as iniciativas da comunidade, mesmo duas e três numa noite e como foi o caso, separadas por uma hora de estrada, consegue imortalizar.

Mas António, o filho mais velho do casal, juntamente com a irmã, dividiram o microfone: “Mommy decidiu mudar de trabalho para poder passar mais tempo comigo, Sofia e meu pai. Mr. Gonsalves chama a minha mãe de a nova “Mordoma”. Eu gosto do Gonsalves, porque posso brincar com os carrinhos de mão no armazém e têm Sumol. A Sofia não gosta do Gonsalves porque não têm laranjada. E aqui entra em cena o senhor Moniz.”

E este senhor Moniz é João Moniz, mais um bem sucedido empresário no campo da importação de produtos alimentares e com largos investimentos nos Açores.

Um momento para rir no meio de elogios e palavras bonitas até dispõe bem. Aliás, o ambiente vivido foi de alegria e boa disposição. É essa a forma de estar no mundo de Márcia Sousa. Alegre, bem dispota, amiga.

Falamos com regularidade. Mais quando no consulado, onde sempre nos deu a preferência das notícias. Outra coisa não seria de esperar, face à projecção do Portuguese Times.

Agora já falamos menos, dado que a  maior ou menor venda do queijo de São Jorge, da Sumol, dos inhames, das conservas, já não é um dado que preocupe a comunidade, como eram as notícias saídas do consulado e que podiam de uma ou outra forma ser de importância.

 

Mas já agora, podemos acrescentar que os queijinhos servidos no final foram um oferta da Henry Gonsalves Co.

“A Márcia tem vários dons e várias imperfeições, mas o que tem de melhor é a abertura a querer ser melhor. Uma pessoa que está sempre à escuta, muito atenta ao que é necessário e também muito distraída pela imensidão de coisas que giram e orbita à volta dela”, assim vê a homenageada, Débora Cabral Arruda, no programa da homenagem.

Marcia Sousa, que por imposição legislativa do Governo Português cessou as funções de vice-cônsul de Portugal em Providence, e agora ao serviço da conceituada empresa da importação de produtos alimentares Henry Gonsalves Comp. recebeu o galardão de “Mulher do Ano” do Bristol Sports, durante um banquete levado a efeito na noite do passado sábado no salão daquela organização lusa em Bristol.

Esta homenagem a Márcia Sousa vem no prosseguimento das manifestações de apreço ao trabalho desempenhado junto do consulado de Portugal em Providence, assim como do apoio ao poder associativo, com realce para as celebrações do Dia de Portugal/RI, com a edição de 2018 a ser memorável pela histórica presença do Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa.

Márcia Sousa entra no quadro de honra dos distinguidos pelo Bristol Sports, entre os quais o ilustre e inesquecível Luciano da Silva, médico, investigador e das mais relevantes figuras lusas de todos os tempos. O ativista comunitário Frederico Pacheco, que deixou o seu nome ligado às mais diversas manifestações de portugalidade. Ambas as figuras estão imortalizadas a poucos minutos do Bristol Sports.

E foi todo este sentimento de distinção pelas funções e êxitos conseguidos que Márcia Sousa foi homenageada. E como se refere num envolvimento de ilustres luso-americanos.

Esteve presente o poder associativo. As forças eleitas da acolhedora e hospitaleira vila de Bristol.

O mestre de cerimónias foi António Teixeira, mais um elemento que já recebeu distinção semelhante do Bristol Sports.

Onésimo Almeida foi o orador principal, traçando as linhas de actuação de Márcia Sousa.

De realçar a intervenção dos filhos, António e Sofia da Ponte, que não deixou de ter a sua graça dada a idade e a forma como traçaram o perfil da mãe.

No programa, Débora Cabral Arruda, escrevia e do qual transcrevemos: “Márcia é um Dom de Deus nas vidas de quem com ela se cruza o caminho.

Atrevo-me a dizer que não basta cruzar o caminho de Márcia, mas ela ter conhecimento que de alguém precisa de algo ou alguma coisa, que revira o que há para revirar para dar uma mão, directa ou indirecta.”

É esta a Márcia que conhecemos e de que muito há por esperar.

“O ourives poderia melhor que ninguém descrever quem é a Márcia, pois está mais habituado a dizer as qualidades das pedras preciosas”, concluiu Débora Cabral Arruda.

 

Osvaldo Cabral é o convidado de honra do Convívio dos Ribeiragrandenses nos EUA

(NEW BEDFORD, EUA) – O XXVI Convívio Ribeigrandense agendado para 27 de Outubro de 2018, promete ser mais um grandioso êxito em continuação do que foi a 25.ª edição deste encontro regional.

O  convivio terá lugar no restaurante Venus de Milo em Swansea, MA, com início pelas 6 da tarde, com a hora social ao que se segue o jantar pelas 7 da noite.

O convidado de honra será o jornalista Osvaldo Cabral, actual director do jornal Diário dos Açores, DE Ponta Delgada.

Como forma de um maior estreitamento dos laços à origem, estarão presentes representações da Câmara e Assembleia Municipal da Ribeira Grande, juntas de freguesia, bombeiros voluntários.

No que se prevê de uma numerosa presença vinda das origens, irão juntar-se mais de seis dezenas de ribeira­grandense, radicados pelo Canadá e Califórinia.

O concelho da Ribeira Grande vai estar numerosamente representado no seu encontro que faz parte das grandes iniciativas comunitárias desta região.

O entretenimento estará a cargo do conjunto Os Capitalistas e do DJ Aires Ferreira.

Os bilhetes podem ser adquiridos nos locais habituais, pelos estados de Massachusetts e Rhode Island.

Muitos outros convívios estão previstos para o próximo mês.

 

Feteiras do Sul

 

Os Amigos das Feteiras do Sul, ilha de São Miguel, reúnem-se em convívio no domingo, 7 de Outubro, no restaurante Riviera, em East Providence, a partir da 1 da tarde.

O convívio conta com a presença do padre Maximino de Medeiros, pároco da igreja de Santa Luzia e do presidente da Junta de Freguesia, José Carlos Cabral.

Os interessados em tomar parte neste convívio devem contactar Gabriela Melo, presidente dos Amigos das Feteiras do Sul, pelo telefone 508-493-5923.

 

Vila Franca do Campo

 

O 26º  convívio dos naturais do Concelho de Vila Franca do Campo, ilha de São Miguel, e que reuniu mais de mil pessoas no Venus de Milo em Swansea, na edição de  2017, vai ter este a sua realização no Canadá. Sabemos que Ricardo Rodrigues, presidente da Câmara Municipal de Vila Franca do Campo, vai estar presente.

Se bem que ainda não esteja confirmado, falou-se na possibilidade de haver um autocarro dos EUA para o Canadá de modo a facilitar a presença dos aqui radicados, naquela confraternização vilafranquense.

 

 

Exclusivo Portuguese Times/Diário dos Açores

Ver também

Cartazes do partido Aliança vandalizados

Em nota de imprensa enviada à nossa redação o Aliança Açores veio publicamente “lamentar os …