Exercício Touro vai testar capacidade de resposta dos agentes de Proteção Civil em cenário de crise sísmica, afirma Presidente do SRPCBA

O Presidente do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA) afirmou hoje, em Ponta Delgada, que o exercício Touro18, que vai decorrer de 20 a 24 de setembro, é uma forma de testar a eficiência dos vários agentes de Proteção Civil em situações de acidente grave ou catástrofe.

Carlos Neves falava na conferência de imprensa de apresentação deste exercício, que é o maior organizado anualmente pela Proteção Civil dos Açores e vai ter lugar este ano na ilha de São Miguel.

O Presidente do SRPCBA frisou que o Touro18 “tem como principal objetivo conseguir que todos os agentes de Proteção Civil atinjam um maior grau de eficiência nas ações de socorro à população num cenário de crise sísmica”.

Nesse sentido, adiantou que “todas as ocorrências serão conduzidas como se fossem situações reais, decorrendo em todos os concelhos da ilha de São Miguel”.

Para além de treinar a coordenação de todos os agentes com responsabilidade em matéria de Proteção Civil, este exercício visa ainda “treinar os efetivos dos corpos de bombeiros nas suas várias valências, testar o nível e a rapidez de resposta dos diferentes agentes de Proteção Civil neste tipo de ações e continuar a testar a rede integrada de telecomunicações de emergência”.

“A parte mais dinâmica e intensa do exercício decorrerá a 22 e 23 de setembro, num espaço temporal de 48 horas, incluindo diversos cenários, como habitações destruídas, populações isoladas e outras ocorrências que poderão suceder durante um sismo”, afirmou Carlos Neves.

Para além dos cinco corpos de bombeiros da ilha de São Miguel, estarão envolvidos neste exercício as direções regionais da Saúde, do Turismo, das Obras Públicas e Comunicações, da Habitação, do Ambiente, dos Recursos Florestais e dos Assuntos do Mar, assim como o Laboratório Regional de Engenharia Civil, o Instituto da Segurança Social dos Açores, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera e o Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores.

O exercício também envolverá as câmaras municipais de Ponta Delgada, Ribeira Grande, Lagoa, Vila Franca do Campo, Nordeste e Povoação, através dos seus serviços municipais de Proteção Civil, bem como a PSP, a GNR, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, a Junta Regional do Corpo Nacional de Escutas, a Associação de Escoteiros de Portugal, associações de radioamadores da ilha de São Miguel e o Comando Operacional dos Açores, através dos seus diferentes ramos e valências.

Fonte: GaCS/AIC