Celebra-se hoje o 88º Aniversário do nascimento do Padre João Caetano Flores

Celebra-se hoje o 88º Aniversário do nascimento do Padre João Caetano Flores

9 de Setembro, 2018 Não Por Azores Today

A 9 de Setembro celebra-se o aniversário do Padre João Caetano Flores. Este foi um dos grandes vultos da cultura açoreana, especialmente na freguesia da Ribeira Chã.

Apesar da data ter caído no esquecimento de muitos, para outros há que a relembrar permanentemente porque a história está escrita e jamais poderá ser esquecida.

Falar da Ribeira Chã é o mesmo que falar do Padre João Caetano Flores. Esta pequena freguesia a ele tudo deve, mas também a todos aqueles que o rodearam nas suas constantes demandas, em nome deste povo, em nome desta terra, sob a protecção de Deus.

Nasceu no lugar da Fajã dos Vimes, freguesia da Ribeira Seca, na ilha de São Jorge, a 9 de Setembro de 1930, filho de João Caetano dos Santos e de Francisca Elvira Flores, um casal de agricultores. Faleceu na Ribeira Chã, a 2 de Dezembro de 1998.

A sua vida foi sempre de entrega a todos os seus projectos e acções sendo membro fundador e dirigente de várias associações, entre elas a Confraria do Vinho Verdelho dos Biscoitos, e colaborador assíduo da imprensa periódica açoriana.

Matriculou-se em 1943 no Seminário Episcopal de Angra, celebrando ali a sua primeira missa a 22 de Maio de 1956. A 9 de Dezembro daquele ano foi colocado como cura do lugar da Ribeira Chã, na ilha de São Miguel, iniciando a sua carreira sacerdotal. Muito por sua influência, o curato de São José da Ribeira Chã, então dependente da paróquia de Água de Pau, seria elevado em 1966 a paróquia autónoma e pouco depois a freguesia civil.

Dotado de grande capacidade de liderança e trabalho, liderou em 1962 o processo que levaria à construção de uma nova igreja paroquial, encomendando um projecto, na altura considerado pouco convencional, ao arquitecto Eduardo Read Teixeira (1914-1996), no qual incluiu arte decorativa de Tomás Borba Vieira e Álvaro França. À construção da igreja seguiu-se o salão paroquial, inaugurado em 1965. Entre as suas iniciativas contam-se o Dispensário Materno-Infantil, instituição com um jardim-de-infância pioneiro na educação pré-escolar nos Açores, o Museu de Arte Sacra e Etnografia, a Casa Museu Maria dos Anjos Melo e o Quintal Etnográfico e de Endemismo Açórico.

O Padre Flores é recordado na toponímia e patrono da antiga escola básica da freguesia da Ribeira Chã, que ostentava o nome de EB1/JI Padre João Caetano Flores, estando neste momento convertida no Centro Comunitário Padre João Caetano Flores.

Em 2017, os Filhos da Terra, grupo musical nascido na Ribeira Chã, homenageou o seu nascimento com o lançamento de um video inédito com musica original de Amadeu Dinis da Fonseca, protagonizado pelo Grupo Acústico e Escola de Música Filhos da Terra, que se tem revelado um sucesso tanto online como em palco.

Pessoalmente não o conheci, mas talvez este distanciamento me faça ver com outros olhos o resultado da sua constante teimosia e o achar que o tamanho de uma terra não se mede pela sua dimensão, mas sim pela sua cultura, pelo seu empenhamento, pelo compromisso com as pessoas, valores e tradição. Um dos exemplos que pretendo sempre seguir.

E, como alguém dizia recentemente, foi um padre que não se deixou usar pelos poderes, mas sim usar os poderes a favor do seu povo. Que assim seja, hoje e sempre.

José Pacheco

Fontes bibliográficas: Wikipedia e Bagos de Uva