Prejuízo

Sempre gostei de ver um avião da SATA Air Açores cruzar elegantemente os nossos céus.

Ao vê-lo passar, recordo imediatamente o profundo empenho de açorianos prestigiados que em tempos bem mais difíceis do que os nossos souberam ser maiores e rasgaram todas as condicionantes com que se depararam, com o objectivo conseguido de fundar e manter em funcionamento uma companhia aérea que erguesse bem alto o nome dos Açores.

Mais tarde, o sentido estratégico do Eng. António Cansado fez com que a SATA ganhasse novas asas e surgiu a sua internacionalização. Passamos a depender só de nós para voarmos para o exterior e, melhor, apresentamos lucro.

Na sequência da desastrosa gestão da responsabilidade do Governo Regional do partido socialista, a nossa empresa de aviação encerrou as contas de 2017 com um prejuízo de 41 milhões de euros, estando, agora, em causa, a sua própria sobrevivência económica.

Este Governo Regional prova, mais uma vez, que não sabe gerir as nossas empresas públicas.

Merece, por isso, uma passagem aérea em classe económica. Só de ida!

 

Por Pedro Nascimento Cabral

in Açoriano Oriental de 21 de Julho de 2018

Ver também

Túmulos que ninguém visita

Pelo padre José Júlio Rocha Franz Jägerstätter (nome difícil) era um pacífico agricultor austríaco, habitante de uma aldeia perto de Salzburgo, marido dedicado e pai de três lindas meninas nos campos idílicos do Tirol, paisagens de cortar a alma, como são as dos nossos insubstituíveis Açores. Um outro austríaco, muito mais famoso e muito menos […] O conteúdo Túmulos que ninguém visita aparece primeiro em Igreja Açores.