A respeito de blues… ou o Rei vai nu…

Á volta da mesa conversávamos sobre blues e patetices que por aí dizem.

É realmente um estilo musical que pode confundir muitas pessoas uma vez que esteve na origem dos estilos mais populares que ouvimos hoje em dia. Mas há a internet e facilmente chegamos lá, caso não dominemos o assunto e se não quisermos passar por pedantes.

Á volta da mesa conversávamos sobre blues e patetices que por aí dizem.

É realmente um estilo musical que pode confundir muitas pessoas uma vez que esteve na origem dos estilos mais populares que ouvimos hoje em dia. Mas há a internet e facilmente chegamos lá, caso não dominemos o assunto e se não quisermos passar por pedantes.

A verdade é que, e de forma sucintamente, o Blues nasce com os escravos americanos, há vários séculos atrás. Nos campos de algodão lá entoavam cânticos que alguns apelidam de “espirituais negros” ou “worksongs”. Discutível será o de ser a origem, ou não, do Gospel e Jazz. Na minha modesta opinião, inclino-me mais a achar que sim, que esteve na origem destas correntes musicais, assim como do referido Blues.

No início do século XX o Blues toma forma e alcança também as elites norte-americanas, popularizando-se não só nos Estado Unidos, mas vindo a propagar-se quase por todo o mundo, especialmente o de lingua germânica. Há quem atribua a W. C. Handy a paternidade do Blues, mas estas coisas são sempre duvidosas, vamos antes aceitar que tenha sido um dos seus maiores promotores. Com o passar das décadas são grandes os nomes do Blues, mas talvez o mais conhecido seja o de B.B. King, recentemente falecido.

Nos anos 50 e 60 a musica negra ou R&B, como era chamada, começa a dar forma a um novo estilo a que se viria chamar Rock n’ Roll e mais tarde apenas Rock. Este novo e ousado estilo, que bebeu de muitas fontes tais como o folk, ficaria imortalizado nas composições de Chuck Berry, para mim, uma das maiores influencias da musica atual.

Confundir Blues com rock’n’roll, é confundir o pai com o filho, como tenho visto, ouvido e lido da parte de algumas cabeças pensantes, especialmente políticos de algibeira. Eric Clapton e Rolling Stones não são exemplos naturais do Blues, conforme andam por aí a dizer. Quando muito têm influencia deste género musical, mas souberam evoluir e ir na corrente musical dominante. Até aposto que o gosto pelo Blues cá pelos nossos lados seja muito restrito a avaliar pelo que vou ouvindo e vendo.

Já agora, volta e meia, aparecem uns “artistas do trapézio” a apelidar estilos musicais de “musica alternativa”, quando na verdade falamos de variantes musicais ou simplesmente instrumentais/ tecnológicas de algo já existente. Mas para alguns passa à categoria de “fino” ou “vanguardista” só porque não se sabe o que é.

Esta coisa de tentar convencer os outros daquilo que nem sequer sabemos ou temos a certeza é obra 😉

José Pacheco

 

Ver também

Derrota em casa

Fonte: RTP Açores