A bancada maioritária do PS no parlamento açoriano chumbou hoje um voto de protesto apresentado por Luís Garcia, deputado do PSD/Açores eleito pelo Faial, contra o “abandono e o estado de degradação das estradas regionais do interior da ilha e pelos prejuízos que estas têm causado à economia e à imagem da ilha”.

Segundo Luís Garcia, “esta posição solitária da maioria socialista, incluindo dos dois deputados do PS eleitos pelo Faial, demonstra que o Partido Socialista não é capaz de se posicionar ao lado dos faialenses na condenação à inação do executivo açoriano, mesmo quando se trata de cobrar promessas tantas vezes repetidas pelo Governo regional e nunca cumpridas”.

Em causa está a estrada do mato entre o Largo Jaime de Melo e a Ribeira do Cabo que, segundo o deputado, “configura algo insólito na rede viária regional, uma vez que fez um percurso contrário ao normal, ou seja, passou de alcatrão a cascalho, permanecendo assim, vergonhosamente, há cerca de 20 anos”.

O social-democrata apontou ainda o caso da estrada que liga as designadas Casas da Junta, na estrada da Caldeira, à Ribeira Funda, nos Cedros, “que também se encontra com um piso impraticável”.

“Estas duas vias são de extrema importância quer para a agropecuária, quer para o turismo”, afirmou, sublinhando que estas estradas regionais ligam dois dos principais pontos turísticos do Faial, a Caldeira e o Vulcão dos Capelinhos.

“Com que imagem ficam os turistas quando têm de atravessar alguma daquelas vias num autocarro?”, questionou, depois de cobrar o “rol de promessas, ao longo de 20 anos, em sucessivos atos eleitorais”, em relação à requalificação destas estradas que chegaram a ser inscritas em planos e orçamentos da Região e na Carta Regional de Obras Públicas agora esquecida pelo Governo regional.

Em 2015, em resposta a um requerimento do grupo parlamentar do PSD/Açores, o Governo regional justificou o cancelamento do investimento na segunda fase da variante à cidade da Horta com a decisão de dar prioridade à Estrada Regional que liga o Largo Jaime de Melo à Ribeira do Cabo.

“Isto foi em 2015! Estamos em 2018 e o Faial está sem nenhuma delas, isto é, sem a segunda fase da variante e sem a requalificação da estrada entre o Largo Jaime de Melo e a Ribeira do Cabo, que continua abandona e esquecida”, concluiu Luís Garcia esta manhã no parlamento perante Vasco Cordeiro.

Fonte: PSD Açores