Altar-mor da Igreja Matriz de Santa Cruz da Graciosa restaurado

Altar-mor da Igreja Matriz de Santa Cruz da Graciosa restaurado

Jun 12, 2018 | Em destaque

Obras de conservação e restauro estão a ser executadas há um ano

As obras de restauro e conservação do altar-mor da igreja Matriz de Santa Cruz, na ilha Graciosa, vão ser apresentadas esta sábado aos graciosenses, numa cerimónia que contará com a intervenção da historiadora de arte Ana Raquel Machado, seguindo-se um filme do atliê de Restauro de São Jorge, responsável pelo trabalho que está a ser desenvolvido há cerca de um ano.

De acordo com uma nota enviada ao Igreja Açores, a iniciativa é aberta ao público em geral e visa explicar os processos utilizados nas obras de conservação e restauro nesta igreja. Por isso será exibido um pequeno filme onde se poderá perceber além do volume de obra, os processos e as técnicas utilizadas na intervenção.

Ana Raquel Machado, é especialista na obra do Mestre de Arruda dos Vinhos, designação pela qual é conhecido o alegado autor dos painéis quinhentistas desta Igreja, um dos mais importantes retábulos de pintura do século XVI e XVII existentes no Arquipélago.

Estas tábuas, que beneficiaram de restauro, foram reveladas em 1941 por José Hipólito Raposo, advogado e monárquico, ao tempo exilado na ilha pelo salazarismo devido à sua oposição integralista ao regime do Estado Novo. Esse autor considerou-as encomenda do capitão-donatário D. Álvaro Coutinho, e atribuíveis à oficina do pintor Cristóvão de Figueiredo.

Em 1675, o Bispo de Angra Frei Lourenço de Castro, mandou ampliar a capela-mor, e na visitação de 1690, Frei Clemente Vieira, lente da Universidade de Coimbra, assinalava que «a capela-mor não tem retabolo, pelo que mandamos que se lhe faça bom e dourado, como é conveniente e decente à principal igreja desta ilha», recomendando ao pároco que «devia procurar de Sua Magestade e seus Ministros o necessário pera a dita obra». Nesta altura terão sido encomendados cinco painéis do antigo conjunto: Pentecostes, na cimalha, Cristo com a cruz às costas e O Imperador Heráclio e o exalçamento da Santa Cruz, no andar nobre, Cristo deposto da cruz e Santa Helena e o milagre do reconhecimento da Cruz, no andar inferior. Medem 1190 x 810 mm, salvo o Pentecostes (1,000 x 810 mm), cortado na zona superior. Uma sexta tábua, Calvário (1190 x 810 mm), a mais notável do conjunto, passou para a parede esquerda da capela-mor. No Pentecostes, nota-se, aos pés da Virgem, uma cruz de Malta.

Fonte: Igreja Açores

Ver também

Igreja assinalou em São Jorge o Dia Nacional dos Bens Culturais da Igreja (Vídeo)

Fonte: RTP Açores