João de Melo oferece-nos um serão memorável A Câmara Municipal do Nordeste, com a…

João de Melo oferece-nos um serão memorável A Câmara Municipal do Nordeste, com a…


João de Melo oferece-nos um serão memorável

A Câmara Municipal do Nordeste, com a parceria da escola secundária local, reuniu vários nordestenses, amigos do concelho e pessoas ligadas à literatura numa conferência com o escritor João de Melo, nesta terça-feira, no Centro Municipal de Atividades Culturais, na Vila do Nordeste. Com a moderação da Prof. Madalena San-Bento, escritora e diretora da Biblioteca Pública e Arquivo Regional de Ponta Delgada, falou-se de “Nordeste, Açores e Açorianos na Literatura Portuguesa”, durante um serão muito participado e agraciado pelo público.

A conferência do escritor João de Melo, que acabou por ser mais uma conversa à volta da temática proposta, foi enriquecida com a leitura/encenação de um excerto de uma das obras do autor (O Meu Mundo Não é Deste Reino) e por dois momentos musicais, concretamente, do Grupo Folclórico São José e do Clube Forte Musical da EBS do Nordeste.

Sendo um serão dedicado à literatura, a Câmara Municipal do Nordeste, através do vereador da Cultura, Marco Paulo Mourão, presenteou os dois escritores convidados com um livro recentemente lançado por uma jovem nordestense e com uma publicação de Dinis da Luz.

A Livraria SolMar também se associou ao evento com as principais obras de João de Melo.

Na passagem pelo Nordeste, durante o dia de ontem, João de Melo teve ainda um encontro com os alunos da Escola Básica e Secundária do Nordeste, com a organização deste estabelecimento e para falar do “escritor natural da Achadinha” e de algumas das suas publicações.

Pela tarde, o escritor visitou ainda a Casa João de Melo, na freguesia da Achadinha, para acompanhar as melhorias que estão a ser efetuadas naquele espaço de memórias do escritor.

Fonte: Município de Nordeste

Ver também

Terceira. Depósitos de resíduos agrícolas propagam praga de ratos

O PSD/Terceira alertou para o risco vigente nos depósitos de resíduos agrícolas junto aos postos de leite, “que têm funcionado como fator gerador da propagação de ratos, assim como elemento de poluição ambiental e até visual, um pouco por toda a ilha, tornando-se autênticas lixeiras a céu aberto”. ..

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *