Transparência

O Governo Regional do PS/A faz questão de anunciar que é um defensor da transparência no exercício da sua acção governativa e, neste sentido, não se coibiu de nomear uma comissão para acompanhar a alienação de 49% do capital social da Sata Internacional – Azores Airlines, SA., apesar de nunca ter explicado bem quais as suas verdadeiras funções.

Acontece que, os únicos destinatários desta tão propalada transparência, que afinal somos todos nós, não conhecem rigorosamente nada sobre o que se passa no negócio da venda das participações sociais da nossa companhia aérea. Nem a mais pequena informação é dada a quem, no fim de contas, vem pagando com os seus impostos os desmandos dos vários conselhos de administração nomeados pelo governo socialista.

Que implicações graves e de difícil reparação para a negociata tem o facto de se informar os Açorianos sobre, pelo menos, quais as empresas que se mostraram interessadas na compra parcial dos nossos aviões?

Considero que tal informação deve ser partilhada e não calo a minha revolta contra esta atitude de desprezo para connosco.

Estou convencido que o Governo Regional irá apresentar o facto como consumado. É que a prepotência do poder socialista apenas se esbate na altura de pedir o voto.

Convenientemente…

 

Por Pedro Nascimento Cabral

in Açoriano Oriental de 14 de Abril de 2018