Apoios para cultura e filarmónicas das freguesias defendeu Jaime Rita no Conselho Regional de Cultura

Jaime Rita Coordenador da ANAFRE Açores participou como membro efectivo no Conselho Regional de Cultura realizado na ilha Terceira e defendeu uma maior descentralização das actividades culturais e dos apoios previstos.

O líder das freguesias Açorianas  frisou a necessidade do acesso a estes apoios ser mais facilitado, menos complexo e ao alcance das pequenas instituições como as nossas Filarmónicas.

Na reunião que decorreu Quinta Feira em Angra do Heroísmo, o Secretário Regional da Educação e Cultura disse, que o investimento no sector da cultura atinge este ano, nos Açores, “quase 2%” do Orçamento da Região. Isto não quer dizer, no entanto, que “esteja tudo bem, que não haja margem para melhorias, para progressão”, frisou Avelino Meneses . O titular da pasta da Cultura afirmou ainda que, em matéria de apoios ao sector, desde 2014 que existe nos Açores um sistema “consolidado, transparente, regulado” por legislação, como, por exemplo, os regimes jurídicos de apoio às actividades culturais, às sociedades filarmónicas e recreativas e à conservação e recuperação do património baleeiro.

Jaime Rita frisou a necessidade do acesso a estes apoios ser mais facilitado de modo a permitir que as instituições culturais que existem nas freguesias , como por exemplo as Filarmónicas possam concorrer. Neste momento segundo o coordenador da ANAFRE AÇORES  muitas associações culturais e filarmónicas, especialmente as de menores dimensões, não de se candidatam devido à complexidade e aos custos do processo de candidatura. Jaime Rita realçou a importância das Actividades culturais, serem o mais descentralizadas possíveis chegando às freguesias Açorianas. O Coordenador da ANAFRE  Açores disse ainda que as muitas iniciativas de carácter cultural que já são promovidas pelas próprias Juntas que devem ser mais acarinhadas e apoiadas.

Avelino Meneses referiu ainda que, “fruto da persuasão” do Governo dos Açores e de “alguma compreensão” do Governo da República, os agentes culturais dos Açores podem “finalmente” candidatar-se aos concursos da Direcção Geral das Artes.

Azores Today