Ponta Delgada vai ser, dos dias 19 a 23 de abril, palco do Colóquio Nacional Património e Identidade Hebraica, promovido pela Câmara Municipal.
O evento, apresentado em Conferência de Imprensa, visa estudar, investigar, promover e valorizar o legado Hebraico e assinalar o 3.º aniversário da abertura da Sinagoga Museu de Ponta Delgada.
Ao longo de três anos, o Museu recebeu aproximadamente 15 mil visitantes. “Este investimento, além da demonstração de uma política cultural e de distinção de Ponta Delgada no universo planetário dos legados hebraicos, tem merecido a atenção e a curiosidade de turistas, locais, e escolas para ganharem conhecimento e um novo patamar cultural sobre a nossa cultural ocidental, que é judaico-cristã”, disse José Manuel Bolieiro.
O edil acrescentou que “Ponta Delgada tem sido e é, cada vez, mais uma cidade e uma sociedade cosmopolita, multicultural, tolerante e acolhedora” pelo que a existência da Sinagoga Museu e do cemitério judeu são demonstrativos desta componente identitária e uma mais-valia na competitividade territorial do Município nos contextos nacional e internacional. Uma competitividade que tem sido reforçada através do estabelecimento de parcerias com, no país, os municípios de castelo de Vide e Tomar e, no plano internacional, com Filadélfia e Fall River, nos Estados Unidos da América.
O Colóquio Nacional Património e Identidade Hebraica destina-se a historiadores, investigadores, estudantes, amigos da Sinagoga e a todos os que queiram ter conhecimento sobre esta cultura e terá lugar no Museu Hebraico Sahar Hassamaim (abertura e conferência inaugural, dia 19), e no Centro Natália Correia (com conferências, e encerramento do programa científico, dia 20), numa iniciativa da Câmara de Ponta Delgada, produção do Museu Hebraico e apoio da Associação dos Amigos da Sinagoga de Ponta Delgada.
São conferencistas José de Almeida Mello, Ronaldo Couto e Nuno Engrácio (do Museu Hebraico), Vamberto Freitas, Urbano Bettencourt, Carlos Cordeiro (da Universidade dos Açores), Eduardo Ferraz da Rosa (Sociedade História de Portugal), Gabriel Steinhardt (Presidente da Comunidade Israelita de Lisboa), Samuel Levy, José Carp (ambos da Comunidade Israelita de Lisboa), Mendo Henriques (Universidade Católica), Cláudia Ninhos (Universidade Nova de Lisboa), José Vera Jardim (Presidente da Comissão Nacional da Liberdade Religiosa), Paulo Coutinho (Universidade de Coimbra), António Pita (Câmara Castelo de Vide) e Hugo Cristóvão (Vice-presidente da Câmara de Tomar).

Programa
No dia 19, pelas 15h00, está previsto um passeio no Centro Histórico de Ponta Delgada e pelos Legados da antiga Colónia Hebraica Micaelense; segue-se, às 18h00, na Sinagoga e Museu Hebraico Sahar Hassamaim, a cerimónia de abertura do colóquio com a presença do Presidente em exercício da Câmara Municipal de Ponta Delgada, Humberto Melo, e do Presidente da Associação Amigos da Sinagoga, José de Almeida Mello.
A conferência inaugural do colóquio é de Eduardo Ferraz da Rosa e versa o “Judaísmo, Insularidade e Diáspora: Presenças, Memórias e Destinos Hebraicos no Arquipélago dos Açores”.
A 20 de abril, os trabalhos prosseguem no Centro Natália Correia, com a conferência de abertura, sobre “Judeus em Portugal”, por Samuel Levy, às 09h30.
O primeiro painel, às 10h00, é dedicado ao “Pensamento, Sociedade e Direito na Questão Judaica” com Mendo Castro Henriques (Messianismo Judaico e a categoria política da Promessa), Cláudia Ninhos (Memória e Ensino do Holocausto em Portugal: Transformações e Desafios) e José Vera Jardim (A Tolerância como Princípio Fundamental da Convivência Inter-religiosa). A moderação será de Eduardo Ferraz Rosa.
“As Comunidades Sefarditas em Portugal” é o tema do 2.º painel, moderado por José de Almeida Mello, com Gabriel Steinhardt (A Comunidade Israelita de Lisboa e a sua Ação nos Dias de Hoje), António Pita (Do Turismo das Emoções ao Turismo das Linhagens: O caso de Castelo de Vide), Hugo Cristóvão (A Comunidade Judaica de Tomar e a sua Sinagoga) e José Oulman Carp (O Testemunho de uma Família Judia dos Açores em Lisboa).
No período da tarde, “Os Judeus na Literatura” é tema do painel moderado por Gabriela Funk, com apresentações de Paulo dos Santos Coutinho (Eça de Queirós e a questão judaica), Vamberto Freitas (Os Judeus na Literatura dos Estados Unidos da América) e Urbano Bettencourt (José Bensaude – para lá do empresário).
Os trabalhos prosseguem com um painel sobre “A Sociedade Açoriana e a Sinagoga de Ponta Delgada”, moderado por Margarida Lalanda, com Carlos Cordeiro (A Sociedade Açoriana no Século XX), Ronaldo Couto e Nuno Engrácio (Visitas ao Museu Hebraico Sahar Hassamaim:Narrativas e Análises) e José de Almeida Mello (O projeto de recuperação da Sinagoga Sahar Hassamaim e os novos desafios para o futuro).
Fará a síntese dos trabalhos Nuno Bettencourt Gomes, no encerramento que conta com a presença da Vereadora da Cultura da Câmara de Ponta Delgada, Maria José Duarte.
Têm lugar “open days” a 21, 22 e 23 de abril, com visitas à Sinagoga e Cemitério Judaico, Leitura de Poemas Hebraicos na Sinagoga e concertos pelo Coro Johann Sebastian Bach.

Col quio nacional patrim nio e identidade hebraica

Fonte: C. M. de Ponta Delgada