“Rastreabilidade da carne brasileira é insuficiente” – conclui Sofia Ribeiro após missão no Brasil

A Eurodeputada Sofia Ribeiro integrou, nos últimos dias, uma Delegação da Comissão da Agricultura e do Desenvolvimento Rural do Parlamento Europeu que se deslocou ao Brasil, com o intuito de aferir, in loco, como se processa a cadeia de distribuição alimentar da carne daquele país. Esta missão parlamentar, constituída por onze Eurodeputados de nacionalidade portuguesa, francesa, polaca, italiana, britânica, alemã e espanhola, decorreu numa altura em que a Comissão Europeia pretende encerrar as negociações comerciais com o MERCOSUL e que sucede a uma série de problemas em que foram detectadas anomalias sanitárias na carne brasileira importada pelos Estados-Membros europeus, do qual o conhecido processo “Carne Fraca” é o componente mais mediático.

“A minha preocupação, nesta Delegação, foi aferir que condições de equidade existem quanto à produção e comercialização da carne por comparação com as que são exigidas aos produtores e industriais europeus” – adiantou Sofia Ribeiro, tendo acrescentado que “quando os produtores europeus são sujeitos a rigorosas regras higio-sanitárias e de bem-estar animal, com controlos muito apertados, o mínimo que se deve exigir, quando se estabelece uma negociação comercial, é a regulação de idênticos padrões de produção, ou a sua compensação por barreiras tarifárias e não tarifárias, de forma a que o produtor europeu não seja sujeito a concorrência desleal”.

Para a Deputada Social-Democrata, “a rastreabilidade dos animais constitui uma peça-chave desse processo, minimizando as perversões à legislação comunitária, o que se reflecte, também, num maior controlo da qualidade do produto, protegendo os interesses europeus, ao nível da segurança alimentar, no que concerne à carne brasileira.”

Esta missão parlamentar de 3 dias teve diversos encontros e reuniões desde logo com o Ministério da Agricultura do Brasil, com o Governador, com Senadores, com Deputados do Estado de Mato-Grosso (principal exportador agrícola), com representantes dos produtores e com responsáveis pelas áreas de investigação e controlo sanitário. Paralelamente visitaram ainda algumas fazendas locais para que os Eurodeputados se inteirassem da cadeia de abastecimento da carne, não fazendo a Eurodeputada uma avaliação positiva. “Não obstante reconheça que há um grande esforço no desenvolvimento da agricultura brasileira, com um impressionante investimento científico e de equipamentos, não estão reunidas as condições de rastreabilidade europeia, avaliação que apresentarei em Bruxelas”, conclui Sofia Ribeiro.

Fonte: PSD Açores