PSD/Açores recusa retrocesso na mobilidade dos açorianos

O presidente do PSD/Açores afirmou hoje que o partido não aceita qualquer retrocesso na mobilidade dos açorianos, nomeadamente no que diz respeito às ligações aéreas entre a Região, o continente e a Madeira. “É inaceitável que o governo da República queira cortar nas verbas da mobilidade para as regiões autónomas e inconcebível que o governo regional dos Açores o aceite”, afirmou Duarte Freitas, no início das jornadas parlamentares do partido, que decorrem na ilha de São Jorge. O líder dos social-democratas açorianos salientou que o atual modelo de transporte aéreo entre os Açores e o exterior, em vigor há três anos, permitiu “duplicar o número de passageiros” nas ligações aéreas entre os Açores, o continente e a Madeira e tem feito com que o turismo “continue a bater recordes”. “Colocar tudo isto em causa é renegar a melhor notícia para a economia açoriana dos últimos 15 anos. Sabemos bem que o PS e o governo regional não queriam este modelo, mas que acabaram por se tornar seus defensores, tal foi o sucesso alcançado na mobilidade dos açorianos e no turismo nos Açores”, considerou. Duarte Freitas explicou que “a ultrapassagem entre a verba que estava estimada para os Açores em 2015 e aquilo que foi realmente gasto no Subsídio Social de Mobilidade em 2016 e 2017, representa apenas um impacto de 0,00008 por cento no Orçamento do Estado”. “Assim, o PSD/Açores recusa qualquer retrocesso na mobilidade dos açorianos. E exige dos governos regional e da República a clarificação de todo este processo”, defendeu. O presidente do PSD/Açores mostrou-se, por isso, “muito preocupado” com as notícias que dão conta da intenção do governo da República de cortar nas verbas destinadas à mobilidade aérea entre o continente e as regiões autónomas. O líder social-democrata lembrou que “o princípio da continuidade territorial, a este nível, sempre foi, e bem, assumido pelo Estado português, através do Orçamento do Estado”. Em novembro passado, referiu, o ministro do Planeamento e das Infraestruturas anunciou a criação de um grupo de trabalho entre o governo da República e os governos regionais dos Açores e Madeira, para analisar, no prazo de 60 dias, eventuais alterações ao modelo existente. “Até hoje, nada se soube, a não ser as informações que dão conta de que os trabalhos estarão concluídos até final de abril e a grande preocupação financeira do governo da República com o modelo”, disse. Duarte Freitas acrescentou que, para o PSD/Açores, “as únicas alterações ao modelo passíveis de serem aceites são apenas aquelas que possam beneficiar os açorianos, nomeadamente no que diz respeito à simplificação dos reembolsos das passagens aéreas”.

Fonte: PSD Açores

Ver também

Abriu a campanha de vacinação contra a gripe (Vídeo)

Fonte: RTP Açores