Ricardo Moura voltou a demonstrar que, em casa, manda ele, mas que esse fator já não assusta qualquer um, como é o caso de Bruno Magalhães, que se encontra a uns alcançáveis 10 segundos do líder.

Ricardo Moura e António Costa (Skoda Fabia R5) concluíram o segundo dia de Azores Airlines Rallye na liderança da tabela de classificação geral, no que ao Campeonato de Portugal de Ralis diz respeito, ao serem os mais rápidos no computo geral das seis provas especiais realizadas. Mas a vida do tricampeão nacional de ralis (2011 a 2013) não foi fácil, pois ainda na primeira passagem por Feteiras MEO, Moura fura e perde tempo para os mais diretos adversários terminado a PE apenas em quarto. Depois veio a primeira passagem por Sete Cidades e Moura volta a perder tempo devido a um furo lento.

Por seu turno, Bruno Magalhães e Hugo Magalhães (Skoda Fabia R5) fizeram uma prova de trás para a frente, com o vencedor da edição de 2017 do rali açoriano a ir subindo gradualmente de posição na classificação geral – tal como o fez no ano passado – durante todo o dia , para se posicionar, mesmo à chegada a Ponta Delgada a uma anulável diferença de pouquíssimo mais de 10 segundos do líder.

Bernardo Sousa e Valter Cardoso (Citroen DS3 R5) são agora os terceiros classificados, com o madeirense preocupado mais com as contas do Regional açoriano do que propriamente com o Nacional de Ralis, a cifrar a distância para o líder no final do dia já em mais de 1m20s.

Carlos Vieira e Jorge Carvalho (Hyundai i20 R5) concluíram o dia no quarto posto da classificação geral nacional, tendo ainda cifrado o terceiro melhor tempo nas primeiras três provas especiais, mas não conseguindo melhorar nas segundas passagens.

Ricardo Teodósio e José Teixeira (Skoda Fabia R5) são quem se segue na classificação geral nacional, tendo inclusive o piloto algarvio vencido a primeira passagem por Feteiras MEO, fechando assim o top-5.

Pedro Sá lidera o Agrupamento de Produção

Pedro Sá e Leandro Parreira (Mitsubishi Lancer Evo IX) são os melhores pilotos do convencional Agrupamento de Produção no final do segundo dia do Azores Airlines Rallye, com a dupla a concluir o dia subindo uma posição na classificação geral entre os pilotos nacionais.

Liderança açoriana nas duas rodas motrizes

Apesar de terem deixado a condução do Citroen DS3 R5, agora nas mãos de Bernardo Sousa, Ruben e Estevão Rodrigues (Peugeot 208 R2) não quiseram deixar passar a oportunidade de participar no Azores Airlines Rallye. Depois de, no passado, se terem afirmado como uma das mais rápidas duplas nos Açores em duas rodas motrizes, os irmãos Rodrigues voltam aos pequenos bólides e neste rali estão a provar que quem sabe, não esquece, liderando a prova no final do segundo dia.

A segunda posição também possui sotaque açoriano. O bicampeão regional em título, Rafael Botelho, faz-se acompanhar novamente neste rali e este ano, a tempo inteiro, por Rui Raimundo, e com o Citroen DS3 R3T, vão sendo os segundos entre as duas rodas motrizes nacionais.

Gil Antunes e Diogo Correia (Renault Clio RS R3T) ocupam o lugar mais baixo do pódio na competição nacional.

O que é que vem a seguir?
A última etapa do Azores Airlines Rallye é constituída por seis provas especiais que contemplam 107.57 km de ação competitiva. Tem o seu início pelas 9h38 (hora local) com a especial dos Graminhais.

Fonte: Azores Airlines Rallye