O SR. MINISTRO MANDA E A GENTE OBEDECE

O SR. MINISTRO MANDA E A GENTE OBEDECE

1 de Fevereiro, 2018 Não Por Azores Today

O apagado ministro do Planeamento, Pedro Marques, foi ao parlamento para uma audição onde falou sobre o subsídio social de mobilidade para as Regiões Autónomas e fez uma declaração muito curiosa.

Disse que há um grupo de trabalho que está a estudar o assunto… mas logo a seguir ditou a sentença: o subsídio vai passar a ser definido no âmbito das competências das Regiões Autónomas e criticou o governo anterior por ter imposto um modelo de subsídio que “quase triplicou os custos” para o Estado, enquanto as pessoas “pagam o mesmo ou mais do que pagavam antes desta famosa alteração”.

Ou seja, o ministro fez duas coisas desajeitadas, sem se aperceber.

Primeiro, já decidiu como vai ser o modelo.

O grupo de trabalho, se tivesse vergonha, já se tinha metido na alheta.

Segundo, sem querer elogiou o governo anterior.

Ao dizer que o governo de Passos Coelho impôs um modelo que triplicou os custos, sem nenhum tecto, nós, açorianos, só temos a agradecer, porque o Estado não fez mais do que o seu dever.

O subsídio de mobilidade é uma obrigação do Estado, em nome da continuidade territorial, garantida na Constituição.

Contrariar essa obrigação, é rejeitar o princípio da mobilidade para todos os cidadãos e impor um estatuto de menoridade aos que vivem nas ilhas.

O que o ministro veio dizer é grave, porque está a preparar o próximo modelo para impor um tecto na atribuição do subsídio por parte do governo da república, empurrando para as Regiões Autónomas o financiamento acima desse tecto.

O que o ministro Pedro Marques quer dizer é muito simples: os senhores ilhéus só podem viajar até um determinado montante, quando ultrapassarem o valor estipulado pelo Estado, ficam por sua conta e risco.

É um convite ao regime anterior. É andar para trás.

Não há surpresa nenhuma.

A partir do momento em que o Governo Regional dos Açores desistiu de enfrentar o Governo de António Costa, em nome dos nossos direitos e a favor dos interesses partidários, já vale tudo.

Um só ministro já diz qual o nosso destino e o executivo de Vasco Cordeiro limita-se, como vem sendo costume, a curvar-se perante a arrogância centralista.

Yes Minister!

2 – O SR. VICE-PRESIDENTE DIZ E A GENTE ACREDITA…

Mais uma pérola da Vice-Presidência do Governo Regional dos Açores.

Ficamos a saber que acaba de ser atribuído à falida Sinaga mais um subsídio de 365 mil euros para… regular o mercado!

Regular o mercado? O do açúcar? Mas ele anda desregulado? Os supermercados e as mercearias nesta terra estão com problemas na venda de açúcar?

Claro que não.

É mais um dos habituais “esquemas” do Governo Regional – que se está a revelar o pior da nossa História – para suportar o pagamento dos altos juros da brutal dívida bancária e os salários dos restantes 26 trabalhadores e três administradores que lá ficaram… a empacotar açúcar.

O descaramento já é tão grande que tudo é permitido.

Já todos percebemos quem precisava de ser regulado.

Janeiro, 2018

Osvaldo Cabral