Morreu Madalena Iglésias

Faleceu,aos 78 anos, em Barcelona, Madalena Iglésias, a intérprete de “Ele e ela”, canção com que venceu o Festival da Canção em 1966.

Nasceu em Lisboa, no bairro de Santa Catarina, em 24 de outubro de 1939. Estudou no Conservatório e na Escola do Canto e, com apenas 15 anos, entrou para o Centro de Preparação de Artistas da Rádio da Emissora Nacional, sob a direcção de Motta Pereira.

No ano de 1954, estreia-se em simultâneo na televisão e na Emissora Nacional. A sua carreira internacional começa em 1959 com uma actuação na televisão espanhola. Em 1960, recebe os títulos de Rainha da Rádio e da Televisão.

Por intermédio da Emissora Nacional, representou Portugal, em 1962, no Festival de Benidorm. Em 1964, participa no I Grande Prémio TV da Canção Portuguesa com “Balada Das Palavras Perdidas” (5º) e “Na Tua Carta” (10º). Nesse ano vence o Festival Hispano-Português de Aranda de Duero. Nesse ano, estreia-se no cinema, ao lado de António Calvário, em “Uma Hora de Amor”, de Augusto Fraga. Participa também no filme “Canção da Saudade”, de Henrique Campos.

Com “Silêncio Entre Nós”, fica em 3º lugar no Grande Prémio da TV da Canção. Grava também uma versão de “Sol de Inverno”. 1965 é também o ano de “Poema de Nós Dois”, tema do filme “Passagem de Nível” de Américo Leite Rosa. A banda sonora deste filme é de Manuel Paião e Eduardo Damas.

Vence o Festival RTP da Canção de 1966 com Ele e Ela, um tema da autoria de Carlos Canelhas em estilo “surf”. “Rebeldia” fica em 3º e “Caminhos Perdidos” obtém o 6º lugar. Em todos os temas foi acompanhada pela Orquestra de Jorge Costa Pinto. No Festival Eurovisão da Canção 1966 obtém grande sucesso e “Él Y Ella”, a versão em espanhol, é editada em Espanha, França e Holanda.

Ainda em 1966, obtém o segundo lugar no Festival do Mediterrâneo, com a canção “Setembro”. Vence também o Prémio da Hispanidade com “Vuelo 502”. O filme “Sarilho de Fraldas”, de Constantino Esteves, onde volta a contracenar com Calvário, é um enorme sucesso e são editados dois EP com temas desse filme. Em 1967, vence o prémio da Casa da Imprensa respeitante ao ano de 1966.

São editados vários EP na editora Tecla de Jorge Costa Pinto. O primeiro inclui os temas “Eu Vou Cantando”, “Não Sou de Ninguém”, “Maus Caminhos” e “Romance da Solidão”. O segundo disco tem os temas “Fado da Madragoa”, “Gostei de Ti”, “Adeus Mouraria” e “Noite Acordada”. “Que Mal Te Fiz”, “Gente Que Passa Na Rua”, “Cuando Salí De Cuba” e “Miguel E Isabel” são os temas do disco seguinte.

Edita ainda outro EP com os temas “Amor Vê Lá” (de Manuel Paião e Eduardo Damas), “Saudade Vai-te Embora” (de Júlio de Sousa) e dois temas de Jerónimo Bragança e Carlos Nóbrega e Sousa: “Mãos Vazias” e “De Degrau Em Degrau”.

São editados vários temas, orquestrados por Adolfo Ventas, em 1968, através da editora Belter, para promoção internacional da cantora. Nesse ano, fica em 4º lugar nas Olimpíadas da Canção com “Tu Vais Voltar” e vai ao Festival do Rio de Janeiro, onde interpreta “Poema da Vida”. É editado um EP com os temas “Poema da Vida”, “Tu Vais Voltar”, “Amar É Vencer” e “Tu És Quem És”.

Participa no Festival RTP da Canção de 1969 com “Canção Para um Poeta”. A Belter edita um EP com os temas “Canção Que Alguém Me Cantou”, “É Você, “Oração Na Neve” e “De Longe, Longe, Longe…”.

Casou-se em 1972, abandonou a carreira artística e foi viver para a Venezuela. Grávida de oito meses, ainda fez um programa no Canal 4 da televisão venezuelana mas deixou de actuar até os seus filhos terem cinco anos de idade. Depois, voltou a actuar esporadicamente na televisão venezuelana para fazer ocasionalmente um programa.

Em 1987, mudou-se para Barcelona. As comemorações do centenário do Coliseu de Lisboa abriram em 8 de junho de 1990 e terminaram em 9 de junho de 1991 com a Grande Noite do Fado de Lisboa. Nessa noite, recebeu o prémio prestígio e com a amiga Simone de Oliveira improvisou “Ele e Ela”. Mais ainda, entre o muito que houve: Rita Ribeiro e António Cruz numa cena de “What Happened to Madalena Iglésias?”, um grande êxito da época, criado por Filipe La Féria.

Em 1994, a editora Movieplay editou uma compilação da cantora na série “O Melhor dos Melhores”. A Strauss editou “Saudades de Lisboa”, em 1996, e “É Já Sol Pôr”, em 1997, com temas gravados para a editora espanhola Belter. Em 2008 é lançada uma fotobiografia.

Morreu a 16 de janeiro de 2018, numa clínica em Barcelona, Espanha, aos 78 anos de idade.[2]

Fonte: Wikipédia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *