contador gratuito
Segunda-feira , 21 Maio 2018

Diocese de Angra conta com dois novos diáconos permanentes

Diocese de Angra conta com dois novos diáconos permanentes

Dez 9, 2017 | Manchete

Diocese de Angra conta com dois novos diáconos permanentes

Ambos servirão na ilha Terceira, de onde são naturais e onde residem

Eriberto Brasil, de 71 anos de idade e Henrique Lima, de 59 são os dois novos diáconos permanentes da diocese de Angra. Ambos foram ordenados pelo bispo de Angra esta sexta-feira, dia da Imaculada Conceição, no Santuário de Nossa Senhora da Conceição, em Angra do Heroísmo, como de resto reza a tradição.

Naturais da ilha Terceira aí vão desenvolver o seu ministério de olhos postos nos mais frágeis.

“O que irei fazer é dar continuidade ao trabalho que tenho vindo a desenvolver na comunidade, agora em funções mais implicadas com a liturgia mas sempre de olhos postos no trabalho social”, disse ao Igreja Açores Eriberto Brasil, natural das Cinco Ribeiras.

“A caridade é muito importante e não falo só dos aspectos materiais” refere o novo diácono.

“O serviços aos mais pobres é uma parte essencial do trabalho do diácono, para além da celebração da palavra e da animação das comunidades”, afirma lembrando que olha para esta ordenação com apreensão mas também “com uma enorme satisfação” pois “é o culminar de um caminho traçado”.

“Dentro das minhas limitações humanas, podem contar comigo” precisou destacando a “responsabilidade que é o exercício deste ministério”.

Os dois novos diáconos permanentes foram ordenados na Solenidade da Imaculada Conceição, no Santuário mariano de Nossa Senhora da Conceição, em Angra do Heroísmo. Ambos irão servir na ilha Terceira. Com eles irá igualmente celebrar a palavra o diácono Nuno Fidalgo, que deverá ser ordenado sacerdote a 30 de novembro nas Furnas, na ilha de São Miguel, de onde é natural.

Ontem na homilia da missa da ordenação, durante a qual ainda foi instituído leitor o seminarista Fábio Carvalho, o bispo de Angra pediu aos novos ordenados que servissem as comunidades e fossem a consciência dos cristãos, estimulando o gosto pela palavra e pelo exemplo de Jesus.

Fonte: Igreja Açores

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *