Programa de Educação Parental formou 140 participantes nas ilhas do Faial e do Pico

O programa de Educação Parental “Mais Família, Mais Jovem”, promovido pelo Governo dos Açores, através da Secretaria Regional da Solidariedade Social, abrangeu 140 participantes nas edições desenvolvidas nas ilhas do Faial e do Pico ao longo deste ano.

Este programa, dirigido a figuras parentais e cuidadores de crianças e jovens com idades compreendidas entre os 9 e os 18 anos, tem como objetivo promover uma parentalidade positiva, que se define como um comportamento parental baseado no melhor interesse da criança com vista à satisfação das suas principais necessidades.

Nesse sentido, promove a utilização de práticas educativas adequadas, abordando estratégias alternativas ao recurso à violência, proporcionando o reconhecimento e a orientação necessários para a fixação de limites ao comportamento das crianças e jovens, com vista ao seu pleno desenvolvimento.

Assim, as edições realizadas no Faial e no Pico abrangeram 58 pais/cuidadores e 70 crianças e jovens em ações dinamizadas em contexto escolar, tendo abrangido igualmente 12 técnicos e ajudantes de lar de Casas de Acolhimento de Crianças e Jovens.

A Secretaria Regional da Solidariedade Social, em parceria com o Instituto da Segurança Social dos Açores, promove hoje, no Faial, e sábado, 18 de novembro, no Pico, a realização de um “Encontro das Famílias e Cuidadores”.

A iniciativa destina-se à entrega de diplomas aos participantes do programa “Mais Família, Mais Jovem”, mas pretende, de igual modo, estimular o convívio e a partilha de boas práticas entre todos os abrangidos.

De entre as várias medidas promovidas pelo Governo dos Açores em matéria de apoio à criança e à família, os programas de Educação Parental têm vindo a ser reforçados desde a sua implementação, em 2011, abrangendo atualmente cuidadores, figuras parentais, crianças e jovens das ilhas de São Miguel, Terceira, Faial e Pico.

Os programas aplicados na Região têm provado ser eficazes, observando-se um aumento das práticas parentais positivas e uma redução do número de problemas comportamentais em contexto doméstico e escolar.

Fonte: GaCS/SRSS