CONVENTO DOS FRANCISCANOS ACOLHE ESPOSIÇÃO RETALHOS-UMA ABORDAGEM AO PATCHWORK AÇORIANO

Hoje, será inaugurada a Exposição “Retalhos – Uma Abordagem ao Patchwork Açoriano”, pelas 18h30, no salão nobre e se estenderá pelas galerias claustrais do piso superior do Convento dos Franciscanos. Uma iniciativa organizada pelo Governo Regional dos Açores, através do Centro Regional de Apoio ao Artesanato, e que conta com o apoio da Câmara Municipal de Lagoa. A exposição estará aberta ao público até 30 de Novembro, de terça a sexta-feira, das 10h00 às 13h30 e das 14h30 às 18h30, bem como, no sábado, das 10h00 às 16h00, estando encerrada aos domingos e segundas-feiras.
A exposição tem como objetivo divulgar os inúmeros trabalhos de patchwork realizados nas diversas ilhas açorianas, quer por particulares quer por instituições, bem como divulgar junto dos vários públicos as diversas técnicas usadas neste género de artesanato.
No catálogo que acompanhará a exposição estarão sistematizadas vários trabalhos pertencentes ao espólio etnográfico do Centro Regional de Apoio ao Artesanato, como também trabalhos de vários museus dos Açores e de particulares.
Previstas estão, igualmente, várias visitas de estudo devidamente guiadas, bem como a realização de workshops que contarão com a participação de vários artesãos lagoenses e de outros concelhos da ilha de S. Miguel. Refere-se ainda que, a exposição terá, igualmente, uma pequena mostra no Festival de Artesanato dos Açores – PRENDA, que decorrerá de 23 a 26 de novembro, no Pavilhão do Mar, na cidade de Ponta Delgada e, a partir de janeiro, na ilha Terceira, no Museu de Angra do Heroísmo.
Refira-se que, o patchwork é uma atividade que continua a difundir-se nos Açores através de várias técnicas que se mantêm vivas por outras gerações. A palavra de origem britânica “patchwork” significa o trabalho feito a partir de retalhos de tecidos, unidos por meio de várias técnicas e que, por sua vez, originam vários tipos de desenhos ou padrões. O patchwork é, assim, um trabalho abrangente e transversal que poderá incluir painéis decorativos, tapetes, mantas, sacas, abafadores e muitos outros artigos. Certamente, esta técnica já faz parte da cultura açoriana, quer pela sua expansão geográfica no arquipélago, quer pela sua longa durabilidade no tempo e na história regionais, merecendo a sua promoção por parte das várias instituições públicas e privadas, nas quais se inclui a Câmara Municipal de Lagoa que apoia mais esta iniciativa de carácter social.

Fonte: Câmara Municipal de Lagoa – Açores