Museu do Pico inaugura a exposição Calçada Portuguesa no Mundo

A 18 de outubro, pelas 21h, o Museu do Pico/Museu dos Baleeiros, recebe a exposição Calçada Portuguesa no Mundo, uma mostra de fotografia de Ernesto Matos, enriquecida com a exibição de pedras trabalhadas por vários artistas, incluindo algumas feitas pelos alunos das Escolas do Pico e com a apresentação de uma palestra dada pelo autor.

Em cada fotografia o autor leva-nos a pensar no extenso labor e esforço da diáspora portuguesa pelo globo, feita de tanta simplicidade e de tanta riqueza, de tanta vontade de marcar para sempre o espaço habitado, como se cada pavimento pudesse ser Padrão.

A arte de “tecer tapetes com pedras” está presente em praticamente todo o mundo, levada desde o início do século passado por portugueses. Imortalizada numa canção de Ary Barroso, “Aquarela do Brasil”, e também inspiradora de filmes de Walt Disney, a calçada portuguesa tornou-se mundialmente conhecida por revestir o calçadão de Copacabana, Rio de Janeiro.

Poucos são, porém, os que conhecem a origem de “partir pedras” para decorar passeios e praças. Ernesto Matos, designer gráfico e fotojornalista, percorreu mais de um século em imagens e muitos milhares de quilómetros para descobrir a calçada portuguesa em locais tão distantes quanto Malaca, Newark e Macau e em outros mais próximos como Sevilha e Barcelona.

Abordando o tema em todos os seus aspetos – história, desenho, geologia, colorimetria, etc. –, Ernesto Matos refere que a calçada portuguesa é mais do que uma simples aplicação de pedra natural e deve ser vista como uma expressão cultural de matriz portuguesa cujos alicerces remontam a uma herança histórica de um misto de cultura e tecnologia de construção dos romanos e dos árabes que acabou por se impor em Portugal no século XIV durante o reinado de D. João II.

Com vários títulos publicados sobre a calçada portuguesa, Ernesto Matos considerou, em entrevista recente, que, mais do que o fado ou o cante, a presença artística portuguesa mais antiga e mais espalhada pelo mundo é a calçada. Daí que questione: “calçada portuguesa património da humanidade?”.

A calçada portuguesa no mundo estará patente ao público até ao dia 12 de novembro, no horário regular de funcionamento do Museu (de terça-feira a domingo – 9h30-17h00).

..

Fonte: Agenda Cultural Açores

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *