Os vereadores da Câmara da Lagoa eleitos pelo PSD acusam a nova maioria socialista de despesista e pouco ética

Na primeira reunião do novo elenco executivo da Câmara Municipal de Lagoa, os vereadores do PSD, Carlos Augusto Furtado e Roberto Oliveira, votaram contra a nova composição de vereadores a tempo inteiro e parcial, proposta pelo Partido Socialista.
No entender dos mesmos, é exagerada a proposta que foi apresentada em reunião de câmara, que prevê um aumento, para o dobro, dos vereadores em regime de tempo inteiro.
Os vereadores do PSD lembram que no mandato anterior, apenas existiam a tempo inteiro a Presidente de Câmara, uma vereadora e mais um vereador a meio tempo. Desta forma, sendo que foi agora aprovado na reunião de 25/10, apenas com os votos do Partido Socialista, o regime de permanência para mais dois vereadores a tempo inteiro, passarão a existir quatro vereadores a tempo inteiro e um vereador a meio tempo.
No Concelho de Lagoa, não se verificou aumento de número de habitantes, nem aumento de número de freguesias, mais dois vereadores a tempo inteiro, no entender dos vereadores, Carlos Augusto Furtado e Roberto Oliveira, só vem acrescentar ao Município um custo anual próximo de cem mil euros, valor que, segundo comparações efectuadas, seria suficiente para manter contratos de prestações de serviço anualmente a dez pessoas, numa altura em que se verifica ainda um enorme desemprego no Concelho.
Para os eleitos do PSD, esta nova maioria do PS não está a começar da melhor forma, ao mostrar práticas de despesismo e de pouca ética, acrescentando mais custos de governação ao concelho, em vez de canalizar estes recursos para proporcionar mais empregabilidade às famílias lagoenses.

Fonte: PSD Lagoa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *