Quatro novos livros de poesia lançados esta semana em Ponta Delgada

Quatro novos livros de poesia lançados esta semana em Ponta Delgada

11 de Outubro, 2017 0 Por Azores Today

Quatro novos livros de poemas, de 12 autores açorianos, são lançados esta semana em Ponta Delgada, no âmbito do Encontro Internacional de Poesia.
A coletânea “n9ve”, com nove poemas de nove poetas das nove ilhas, e os livros “A mais absurda das religiões”, de Nuno Costa Santos, “Papéis secundários”, de Daniel Gonçalves, e “Correspondência”, de Paula de Sousa Lima e Leonardo, são apresentados ao público de 12 a 14 de outubro, às 17h30, no Centro Cultural Natália Correia.
Daniel Gonçalves (Santa Maria), Emanuel Jorge Botelho (São Miguel), Álamo Oliveira (Terceira), Victor Rui Dores (Graciosa), Norberto Ávila (São Jorge), Urbano Bettencourt (Pico), Ângela Almeida (Faial), Gabriela Silva (Flores) e Palmira Jorge (Corvo) são os coautores do livro “n9ve”.
Esta coletânea poética é lançada quinta-feira, logo após a sessão de abertura do Encontro Internacional de Poesia, numa edição da Letras Lavadas coordenada e apresentada por José Andrade.
Em edição apoiada pela Câmara Municipal de Ponta Delgada, “n9ve” reúne os poemas “sem título” de Daniel Gonçalves, “A minha ilha” de Emanuel Jorge Botelho, “Terceira bem-amada” de Álamo Oliveira, “Graciosa cheia de graça” de Victor Rui Dores, “Sanguinhal” de Norberto Ávila, “O Calhau a Casa” de Urbano Bettencourt, “Matriz” de Ângela Almeida, “Na ilha” de Gabriela Silva e “Ilha do Corvo” de Palmira Jorge.
Na sexta-feira, é lançado o novo livro “A Mais Absurda das Religiões”, que reúne um conjunto de crónicas, entre originais e textos publicados em jornais, revistas e blogues do escritor e argumentista Nuno Costa Santos.
Segundo informação da editora Escritório, este livro “fala-nos do que é isto de ser português, mas também da condição da paternidade, da insularidade, dos Açores, dos que o marcaram e marcam. Do que acontece na pastelaria, no bairro, das redes sociais, da amizade, da solidão, de música, de escritores, de expressões do arco-da-velha, do drama maior de comprar um par de sapatos um número acima. Da condição de cronista. E quase sempre, em quase tudo, de uma certa poesia.”
Na mesma sessão, é lançado o novo livro de Daniel Gonçalves, “Papéis Secundários (pequenas ficções)”, em edição de autor, com 75 poemas repartidos por dois capítulos: o primeiro inspira-se na literatura, o segundo na música.
Este é o décimo sétimo livro do poeta Daniel Gonçalves, nascido na Suíça, mas mariense desde 1999. A sua obra foi reconhecida várias vezes, desde o Prémio de Revelação da APE em 1997, passando pelos Prémios de Poesia Cesário Verde, Manuel Alegre, Bocage, António Cabral, Cidade de Almada, entre outros.
O lançamento simultâneo destes dois livros tem a particularidade de que Daniel Gonçalves apresenta a obra de Nuno Costa Santos e Nuno Costa Santos apresenta a obra de Daniel Gonçalves.
O quarto livro lançado no âmbito do Encontro Internacional de Poesia é apresentado ao público no próximo sábado, por Leonor Sampaio Silva. Intitula-se “Correspondência” e reúne poemas trocados por Paula de Sousa Lima e Leonardo, numa edição da Letras Lavadas.
Paula de Sousa Lima conta com a publicação de contos, romances e poesia. O seu último romance, “O Paraíso”, foi Finalista do Prémio LeYa. Na área da poesia, publicou a obra “Quando eu mover a sombra das montanhas”.
Por sua vez, o jovem poeta micaelense Leonardo é autor de três livros de poesia: “há-de flutuar uma cidade no crepúsculo da vida” (2013), “âmbula” (2015) e “onde sequer o luar” (2016).

Livros

Fonte: C. M. de Ponta Delgada