A deputada e porta-voz do PSD/Açores para a Educação, Maria João Carreiro, defendeu que a modernização dos equipamentos escolares da Região, para adequa-los às atuais exigências pedagógicas, deve obedecer a um “planeamento rigoroso para evitar que alunos, professores e pessoal não docente sejam expostos a situações indesejadas”.

Maria João Carreiro falava no final de uma visita à Escola Básica Integrada Canto da Maia, em Ponta Delgada, onde os deputados do PSD/Açores reuniram com a direção da escola e na qual reiteraram que o “investimento na Educação é prioritário para garantir a melhoria na qualidade de ensino e prevenir o insucesso e o abandono escolar precoce”.

“Reconhecemos o esforço em modernizar e adequar a Canto da Maia às exigências pedagógicas atuais, mas não podemos deixar de notar que fomos surpreendidos com as consequências de um deficiente planeamento de algumas componentes da obra que fazem com que ainda hoje haja insuficiências no seu funcionamento”, explicou a deputada.

Entre essas insuficiências destacam-se o facto de o refeitório estar a funcionar num dos corredores da escola, onde os alunos do pré-escolar estão com alunos de outras faixas etárias; a irregularidade do piso exterior do recreio do pré-escolar; a falta de escoamento de águas no parque de estacionamento ou ainda o facto de os serviços administrativos da escola estarem a trabalhar em salas cobertas com plástico.

“Não são essas as condições que pretendemos. Os Açores têm de vencer o desafio da Educação e o cumprimento desse desígnio passa também por garantirmos as melhores condições aos nossos alunos, professores e pessoal não docente. Esperamos que os erros desta intervenção, que tinha tudo para ser um bom investimento público, não se repita em intervenções futuras em outras escolas da Região”, defendeu Maria João Carreiro.

A porta-voz do PSD/Açores para a Educação salientou que existem escolas nos Açores que parecem ter sido esquecidas pelo Governo regional, não obstante os repetidos alertas dos encarregados de educação e professores para as más condições em que se encontram e a programação de verbas nos sucessivos Planos e Orçamentos da Região.

Só no concelho da Ribeira Grande existem duas escolas, a Escola Rui Galvão de Carvalho e a Escola Secundária da Ribeira Grande, que carecem de uma intervenção urgente, além de outras, como a EBI dos Arrifes ou a EBI de Lagoa, que aguardam a intervenção no quadro do compromisso assumido pelo executivo açoriano de que até ao final de 2017 a Região deixaria de ter escolas com amianto.

Maria João Carreiro alertou também para a necessidade de uma “reflexão séria” sobre alguns indicadores da Educação, nomeadamente a forma como o programa ProSucesso está a ser implementado, uma vez que logo após o seu primeiro ano de implementação a taxa de retenção no 1.º Ciclo do Ensino Básico passou de 5,8% para 8,5%.

“Da parte do PSD/Açores, os açorianos podem contar com a nossa fiscalização à ação do Governo e, auscultando os agentes da comunidade educativa, propor medidas para alcançar melhores resultados”, garantiu.

Ler Mais em: PSD Açores

Deixar uma resposta