O candidato do PSD à Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, Marcos Couto, rejeita a ideia de que existe uma máquina eleitoral do PS que condicionou o resultado das últimas eleições autárquicas.

“Quero agradecer o enorme apoio que tenho recebido de pessoas dos mais diversos quadrantes, ressalvando, no entanto, as afirmações que vou ouvindo sobre a existência de uma suposta máquina socialista que condiciona as eleições autárquicas, que não me parece que exista”, disse.

Marcos Couto apontou os resultados das últimas eleições para a Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, em 2013, quando o PS ganhou à coligação PSD/CDS-PP por 296 votos.

“Essa foi a diferença que permitiu ao PS ganhar a Câmara de Angra do Heroísmo, com duas caraterísticas que me parece importante realçar: a existência, por um lado, de 1075 pessoas que saíram de casa e votaram em branco ou nulo e, por outro, o facto deste executivo municipal ter sido eleito por cerca de 7700 eleitores, ou seja 25 por cento do universo eleitoral do município”, salientou.

Marcos Couto questiona e responde: “Será isto uma máquina? Julgo que não”. De acordo com o candidato social democrata à Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, “o grande problema é que as pessoas demitem-se da sua responsabilidade de votar e alterar o rumo das coisas, colocando essa culpa numa suposta máquina eleitoral socialista que me parece, sinceramente, que não existe”.

Por outro lado, Marcos Couto adiantou que o PSD se apresenta às eleições “unido e aberto à sociedade” com uma “equipa totalmente nova” contra uma equipa “que ganhou por 296 votos”, concluiu.

Ler Mais em: PSD Açores

Deixar uma resposta