A FÉ EXPLICADA DE UMA FORMA SIMPLES

Por José Pacheco

Há dias contaram-me uma história muito interessante que resolvi partilhar aqui com os amigos e talvez seja, de uma forma simples, uma das muitas maneiras de explicarmos o que é a Fé.
Numa certa terra já não chovia há algum tempo. Os habitantes desesperados com tal situação resolveram pedir a ajuda divina para que viesse a chuva e assim salvar as culturas.
Este pedido seria feito numa pequena ermida que ficava nas montanhas distantes e para tal seriam sorteados três homens que fariam a caminhada até ao local, acompanhados pelo padre da freguesia. Do sorteio resultou um professor, um médico e um tolo.
Chegados os quatro à referida ermida o padre resolveu escolher um dos três homens para fazer a oração a pedir a chuva que tanto lhes faltava. Desta escolha resultou que o escolhido seria o tolo.
Após a oração os homens regressaram à freguesia, mas o professor e o médico iam um pouco incomodados com a escolha do tolo para fazer a oração e resolveram perguntar ao padre o porquê da escolha. A resposta do padre foi:
– Escolhi-o de entre os três por ser o homem de maior Fé
Os homens indignados responderam serem pessoas de Fé e de maior formação podendo até fazer uma melhor e mais elaborada oração. Mas o padre concluiu dizendo:
– Ele era o homem com mais Fé de entre vocês porque foi o único a levar o guarda-chuva.

A minha conclusão é que ter Fé não basta pedir nem se achar aquele com a boca mais santa para fazer tais pedidos, mas sim acreditar mesmo quando os outros à sua volta não acreditam, nem mesmo nos pedidos que querem fazer, seja o resultado qual for que venha a acontecer.
Quando me voltarem a perguntar o que é ter Fé já sei o que responder: “Sempre que eu pedir que chova levo sempre o guarda-chuva mesmo que esteja um sol escaldante”

Ver também

Túmulos que ninguém visita

Pelo padre José Júlio Rocha Franz Jägerstätter (nome difícil) era um pacífico agricultor austríaco, habitante de uma aldeia perto de Salzburgo, marido dedicado e pai de três lindas meninas nos campos idílicos do Tirol, paisagens de cortar a alma, como são as dos nossos insubstituíveis Açores. Um outro austríaco, muito mais famoso e muito menos […] O conteúdo Túmulos que ninguém visita aparece primeiro em Igreja Açores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *